De 18 a 27 de outubro, Coimbra acolhe a 17ª edição do Festival Jazz ao Centro – Encontros Internacionais de Jazz de Coimbra. O cartaz deste ano contempla 16 concertos – oito dos quais gratuitos – e uma residência artística, que se distribuem entre dois fins de semana pelo Convento São Francisco, Salão Brasil, Teatro Académico Gil Vicente, Centro Norton de Matos, Colégio da Graça, Casa das Artes Bissaya Barreto, Casa da Mutualidade, Centro de Artes Visuais e Coola Bola, Rádio Universidade de Coimbra e Museu Nacional Machado de Castro.

No primeiro fim de semana, os destaques da programação vão para o concerto, no dia 18, no Grande Auditório do Convento São Francisco, do trio de homenagem a Bernardo Sassetti, liderado pelo pianista galego Alberto Conde e onde também marcam presença Carlos Barretto (contrabaixo) e Alexandre Frazão (bateria). No dia seguinte, é a vez de Steve Coleman and Five Elements, em data única no nosso país. A terminar o primeiro fim de semana, um concerto especial para a organização da Orquestra de Jazz de Espinho & Mário Costa no Centro Norton de Matos, local onde se realizaram os primeiros concertos do festival em 2003.
O segundo fim de semana arranca com um dos grandes destaques do festival. Dia 25 de outubro, pelas 21h30, o guitarrista americano Fred Frith, figura notável da improvisação livre das últimas cinco décadas, regressa a Coimbra em formato trio, com Jason Hoopes (baixo) e Jordan Glenn (bateria) a acompanhar o membro dos extintos Naked City, supergrupo encabeçado pelo lendário John Zorn.

No dia seguinte, pelas 18h00, a cantora-compositora e performer americana Kathleen Baird apresenta-se na Casa das Artes Bissaya Barreto para um concerto de entrada gratuita. Fundadora do atual duo de improvisação norte-americano Spires That In The Sunset Rise, Baird notabilizou-se rapidamente como uma das forças vitais da exploração sem forma de Chicago do início da presente década. No mesmo dia, às 22h00, no Salão Brazil, Gabriel Ferrandini apresenta Volúpias, o primeiro disco do baterista em nome próprio, na companhia de Pedro Sousa (saxofone tenor) e Hernâni Faustino (contrabaixo).
No último dia, a 27 de outubro, o Centro de Artes Visuais recebe o quarteto formado pelo saxofonista português Rodrigo Amado, o americano e lendário saxofonista tenor Joe McPhee, o saxofonista soprano e trompetista Kent Kessler e o demolidador baterista Chris Corsano, que deverão apresentar o mais recente disco A Históry of Nothing (Trost Records, 2018).
Texto de Ricardo Ramos Gonçalves
Fotografia de Marco B via flickr

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.