Na reportagem "Conhecer as Cidades através da Cultura e da Criatividade", publicada na Revista Gerador 34, a jornalista Ana Sofia Paiva parte da Rede Cidades Criativas da UNESCO para encontrar histórias e personagens da cultura portuguesa. Se, até agora, não conhecias esta Rede, este Explicador de Infografias é para ti. É provável que já te tenhas cruzado com questões ilustradas nas nossas redes sociais; aqui encontrarás todas as respostas para que consigas mergulhar nesta reportagem com contexto.

1. O que é a Rede Cidades Criativas da UNESCO?

A Rede Cidades Criativas da UNESCO é uma plataforma onde as cidades membros cooperam entre si e reconhecem a cultura e a criatividade como fator de desenvolvimento sustentável. Foi lançada em 2004 e, atualmente, é constituída por 246 cidades.

  1. Quais são os principais objetivos da Rede Cidades Criativas da UNESCO?

Os principais objetivos passam pela cooperação internacional entre as cidades que reconheceram a criatividade como estratégia fundamental para o desenvolvimento sustentável;

Estimular a criação, produção, distribuição e difusão de atividades culturais, bens e serviços;

Integrar a cultura e a criatividade nos planos de desenvolvimento local e regional.

  1. Quais são as áreas criativas destas cidades?

São sete: Artesanato e Arte popular (Crafts & Folk Art), Música, Artes Digitais (Media Arts), Literatura, Filme, Gastronomia e Design.

As cidades candidatam-se com um plano de quatro anos e propõem-se a cumprir esses mesmos objetivos dentro da sua área criativa. Após esses quatro anos, as cidades podem voltar a validar o seu campo criativo.

  1. Porque é que é importante esta rede?

Esta rede é importante porque as cidades membro assumem parcerias e o compromisso de partilhar as melhores práticas dentro da sua área temática. Fortalecem-se relações entre cidades e artistas e desenvolvem-se melhores estratégias para a implementação das indústrias culturais e criativas em cada cidade, tanto a nível local como regional.

  1. Quantas cidades portuguesas fazem parte da rede?

Neste momento, são seis: Idanha-a-Nova, Cidade Criativa da Música (desde 2015); Óbidos, Cidade Criativa da Literatura (desde 2015); Amarante, Cidade Criativa da Música (desde 2017); Barcelos, Cidade Criativa do Artesanato e das Artes Populares (desde 2017); Braga, Cidade Criativa das Media Arts (desde 2017); Caldas da Rainha, Cidade Criativa do Artesanato e das Artes Populares (desde 2019); e Leiria, Cidade Criativa da Música (desde 2019). 

A cidade da Covilhã está a concorrer para Cidade Criativa do Design, Santa Maria da Feira e Alcobaça para Cidade Criativa da Gastronomia, campos criativos que ainda não foram atribuídos em Portugal. 

  1. Qual é a ligação entre as cidades criativas e o desenvolvimento sustentável?

A Rede Cidades Criativas da UNESCO é parceira da Agenda 2030 da ONU, em que a organização estipulou 17 objetivos a concretizar até 2030. Um deles, o 11º objetivo, diz respeito às cidades e comunidades sustentáveis, em que um dos pontos refere que é necessário “fortalecer esforços para proteger e salvaguardar o património cultural e natural do mundo”.

  1. A Rede de Cidades Criativas da UNESCO está atenta aos constrangimentos causados pela covid-19?

Sim. Em 2020, a UNESCO emitiu um comunicado a pedir que todas as cidades membros partilhassem as suas estratégias de adaptação à pandemia. Após recolher essas partilhas, a UNESCO lançou um e-book que reúne as práticas destas cidades espalhadas pelo mundo. O documento continua disponível e tem como objetivo incentivar as restantes cidades membro a explorar o seu potencial criativo e cultural através destes exemplos.

  1. Onde é que posso saber mais sobre a Rede Cidades Criativas?

Podes saber mais da Rede Cidades Criativas através da nossa reportagem ou no website da Creativity Cities Network da UNESCO. Se tiveres interesse na Agenda de Objetivos de Desenvolvimento Sustentável 2030 da ONU, acede ao website.

Conhecer as Cidades através da Cultura e da Criatividade é uma reportagem que integra a Revista Gerador 34, e que parte da bolsa Reportagens Essenciais Gerador. A Ana Sofia Paiva, autora desta reportagem, foi a primeira vencedora deste projeto de apoio a jovens jornalistas do Gerador. Além deste Explicador de Infografias, vão ser lançados oito episódios do podcast A Medida Certa na Cultura. O primeiro episódio, dedicado a Idanha-a-Nova, já pode ser ouvido aqui.