fbpx
Apoia o Gerador na construção de uma sociedade mais criativa, crítica e participativa. Descobre aqui como.

Conversas Impróprias | Cultura e investigação, os parentes pobres do jornalismo

Hoje, dia 25 de julho, arranca a parceria inédita que junta dois órgãos de comunicação…

Texto de Gerador

Apoia o Gerador na construção de uma sociedade mais criativa, crítica e participativa. Descobre aqui como.

Hoje, dia 25 de julho, arranca a parceria inédita que junta dois órgãos de comunicação social independentes, o Gerador e o Shifter, na dinamização de um ciclo de discussão sobre o ecossistema jornalístico, a que chamaram Conversas Impróprias.

A primeira conversa, será transmitida online e cabe ao Gerador dinamizar um debate em torno do jornalismo cultural e investigação, tantas vezes identificados como parentes pobres do espaço mediático nacional. Embora estas sejam duas das áreas mais reconhecidas do jornalismo, com lugar desde sempre em jornais, revistas, televisão e até nas plataformas digitais, nem sempre têm logrado de um verdadeiro reconhecimento e valorização, tornando-se cada vez mais difícil a sua prática.

De olhos postos no futuro, a conversa pretende ter como ponto de partida a atual conjuntura e abrir espaço a uma reflexão sobre o papel destas áreas no jornalismo, relacionando a sua importância com os impactos que podem no contexto mediático.

Esta conversa será moderada pelo jornalista do Gerador Ricardo Gonçalves, tendo como convidadas Claudia Galhós e Dora dos Santos Silva.

Claudia Galhós escreve sobre artes performativas para o semanário Expresso. Foi editora do suplemento semanal «Artes de Palco», do programa Magazine, do canal 2 da RTP. Desde 1994, trabalha e colabora com diversos jornais, sites, rádios e revistas em Portugal e no estrangeiro. Estreou-se na área da ficção em 2001, com Sensualistas , o primeiro livro da Trilogia Rock, ao qual se sucedeu Conto de Verão (2002), e O Tempo das Cerejas (2007). Tem diversos contos publicados em colectâneas em Portugal e no estrangeiro, e textos sobre teatro e dança em publicações estrangeiras, alguns apresentados em conferências internacionais ou no âmbito de acções de formação e seminários dedicados à escrita sobre artes performativas. Nesta área, editou em 2006, pela Assírio & Alvim, o livro Corpo de Cordas - 10 anos de Companhia Paulo Ribeiro.

Dora dos Santos Silva é professora Auxiliar da NOVA FCSH, no departamento de Ciências da Comunicação. Licenciada em Ciências da Comunicação, mestre em Cultura Contemporânea e Novas Tecnologias e doutorada em Media Digitais. É autora do livro “Cultura e Jornalismo Cultural – Tendências e Desafios no contexto das indústrias culturais e criativas”. A título profissional, colaborou como jornalista em diversas publicações culturais nacionais e internacionais. Continua hoje a colaborar com órgãos de comunicação social e no desenvolvimento de projetos de conteúdos editoriais, criativos e multiplataforma em ambiente académico. É coordenadora do Observatório da Inovação nos Media e das Indústrias Criativas, investigadora integrada do ICNOVA – Instituto de Comunicação da NOVA, coordenadora editorial do projeto de comunicação de ciência e cultura +Lisboa e coordenadora da pós-graduação em Comunicação de Cultura e Indústrias Criativas na NOVA FCSH.

Como acompanhar o ciclo?

Poderás saber mais sobre o ciclo Conversas Impróprias no site do Gerador e no site do Shifter e nas redes sociais dos dois meios, onde vamos lançando a programação no arranque de cada mês.

Se quiseres ficar a par de todas as novidades sobre este ciclo, convidamos-te a deixares aqui o teu e-mail e número de telefone para receberes uma newsletter especialmente dedicada a este tema a tua caixa de correio e WhatsApp.

Se este artigo te interessou vale a pena espreitares estes também

Academia: cursos originais com especialistas de referência

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Planeamento na Comunicação Digital: da estratégia à execução [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Fundos Europeus para as Artes e Cultura I – da Ideia ao Projeto

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Narrativas animadas – iniciação à animação de personagens [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

O Parlamento Europeu: funções, composição e desafios [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Comunicação Cultural [online e presencial]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Pensamento Crítico [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Iniciação ao vídeo – filma, corta e edita [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Introdução à Produção Musical para Audiovisuais [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Planeamento na Produção de Eventos Culturais [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Iniciação à Língua Gestual Portuguesa [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Práticas de Escrita [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Soluções Criativas para Gestão de Organizações e Projetos [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Viver, trabalhar e investir no interior [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Jornalismo e Crítica Musical [online ou presencial]

Duração: 15h

Formato: Online

Investigações: conhece as nossas principais reportagens, feitas de jornalismo lento

1 ABRIL 2024

Abuso de poder no ensino superior em Portugal

As práticas de assédio moral e sexual são uma realidade conhecida dos estudantes, investigadores, docentes e quadros técnicos do ensino superior. Nos próximos meses lançamos a investigação Abuso de Poder no Ensino Superior, um trabalho jornalístico onde procuramos compreender as múltiplas dimensões de um problema estrutural.

8 DE ABRIL 2024

A pobreza em Portugal: entre números crescentes e realidades encobertas

Num cenário de inflação galopante, os salários baixos e a crise da habitação deixam a nu o cenário de fragilidade social em que vivem muitas pessoas no país. O número de indivíduos em situação de pobreza tem vindo a aumentar, mas o que nos dizem exatamente esses números sobre a realidade no país? Como se mede a pobreza e de que forma ela contribuiu para outros problemas, como a exclusão social?

A tua lista de compras0
O teu carrinho está vazio.
0