No dia 25 de novembro, pelas 15h, abre ao público esta exposição que conta com a curadoria de Sérgio Fazenda Rodrigues. O primeiro dia de apresentação contará com a presença da artista e do curador entre as 15h e as 19h, e a entrada no museu será gratuita neste período.

Explorando caminhos que cruzam o desenho, a escultura, a instalação, a fotografia, o vídeo e a intervenção site-specific, Cristina Ataíde desenvolve o seu trabalho ininterruptamente há mais de três décadas. "A sua produção revela uma sede de experimentação e um fascínio pela descoberta que, entre outros, se ancora no impulso da viagem, na procura por outros sistemas de pensamento e numa busca pela expressão da matéria", pode ler-se no comunicado enviado às redações.

A exposição "Dar corpo ao vazio" apresenta um conjunto de obras que abarcam vários períodos e meios de produção, encadeando-se entre si sem adotar um olhar cronológico ou retrospetivo. "Dando-se a ver como uma teia de relações que cruza referências transversais à produção da artista Ataíde, a exposição enuncia a ligação do indivíduo ao meio (num diálogo entre a geografia e a cultura), a conexão da viagem com o conhecimento (articulando a descoberta e a identidade) e a relação entre o espírito e a matéria (especulando sobre a graduação de vários estados de existência)".

Local: Museu Berardo, Lisboa
Horário: das 10h às 19h
Preço: 5 euros (bilheteira online)
Fotografia de Alberto Mayer
"Dar corpo ao vazio", de Cristina Ataíde, no Museu Berardo