Os Estúdios Victor Córdon (EVC), situados em Lisboa, acabam de lançar o programa online “Uma Coleção para Amanhã“, que integra assim a presente temporada de 2020-2021. Trata-se de um ciclo de dez conversas sobre movimento, lançadas mensalmente e transmitidas no canal Youtube dos EVC ao longo deste ano.

Em comunicado, os EVC explicam que o programa conta com curadoria da jornalista Cristina Peres e realização de João Afonso Vaz, tendo o objetivo de “revisitar o passado com os olhos postos no futuro”, reunindo um conjunto de convidados ligados ao panorama da dança em Portugal.

“A mudança global e quase simultânea que 2020 nos trouxe, e a consequente imposição de distanciamento físico, trouxe a vontade de provocar encontros improváveis e de fazer perguntas que ainda não foram feitas. Um convidado. Um tema. Uma conversa que viaja até onde a dança chegar”, pode ler-se na apresentação do programa.

Marlene Monteiro Freitas, coreógrafa de origem cabo-verdiana e referência atual na dança em Portugal e no panorama internacional, iniciou o ciclo e dá o mote a conversas seguintes. A II Parte, também já disponível, dá voz à coreógrafa Clara Andermatt, considerada uma das pioneiras da Nova Dança Portuguesa e com uma forte relação a Cabo Verde.

“Uma Coleção para Amanhã” conta com o apoio de várias delegações do Camões I.P. em África e do Centro Cultural de Mindelo na sua difusão, seguindo a linha estratégica dos EVC, com o intuito de “quebrar limites geográficos e desenvolver o diálogo intercultural”, refere a entidade.

No mesmo comunicado, os EVC adiantam também que a temporada 2020/21, marca o início de um “novo ciclo”, através de programas que aproximem diferentes culturas e geografias, conferindo um apoio concreto a artistas independentes, oportunidades de ingresso no mercado de trabalho e ainda diálogo e circulação de artistas nacionais e internacionais.

Marlene Monteiro Freitas foi a convidada do primeiro episódio
Texto de Ricardo Ramos Gonçalves
Fotografia de Christian Schwarm | EVC

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.