No âmbito da candidatura a Capital Europeia da Cultura 2027, a Câmara Municipal de Faro criou o MI.MOMO.FARO, um projeto de educação patrimonial que quer pôr os alunos das escolas do 3º ciclo do concelho a aprender através do jogo Minecraft.

"E se o Minecraft fosse mais do que um jogo? Se fosse também uma ferramenta educativa que permitisse reproduzir obras marcantes da arquitetura portuguesa? E se estivesse presente nas salas de aula? ", é o que se pode ler no início da proposta da Câmara Municipal à Capital Europeia da Cultura 2027, que pretende envolver 7 escolas do concelho de Faro, 150 alunos, com idades entre os 13 e os 15 anos, e mais de 20 docentes, entre professores e figuras de destaque ligadas à arquitetura e ao património da cidade.

O projeto MI.MOMO.FARO, que se entrecruza com outros projetos europeus sobre o património modernista, é uma iniciativa interdisciplinar desenvolvida com o apoio de vários parceiros, entre eles a Microsoft Portugal, Plano Nacional das Artes, Europeana Education, Direção Regional de Cultura do Algarve e o Centro de Formação Ria Formosa. Com o apoio científico de técnicos de arquitetura, urbanismo e património do Município de Faro, os professores envolvidos na iniciativa, estão a ter acesso a formação específica que lhes permitirá explorar abordagens pedagógicas em ambiente de sala de aula.

Fotografia disponível na página de candidatura Faro2027

Bruno Inácio, Chefe de Divisão de Cultura do Município de Faro e Coordenador da candidatura de Faro a Capital Europeia da Cultura 2027, descreve, na página da candidatura, o MI.MOMO.FARO como, "um projeto que visa por um lado potenciar a educação patrimonial através do uso das novas tecnologias, capacitando alunos, docentes e escolas através do contacto com novas dinâmicas de aprendizagem (game based learning) e por outro contribuir para a valorização do património cultural do concelho, neste caso a arquitetura modernista motivando todos os que se interessem por este projeto a descobrir o movimento modernista em cidades do Sul da Europa".

Atendendo às restrições impostas pela pandemia e na ausência de aulas presenciais, foi incluído no projeto um Fórum Online onde, professores e alunos envolvidos no MI.MOMO.FARO, podem debater o património da cidade à luz de novas abordagens pedagógicas.

O jogo virtual Minecraft, cujo objetivo é fazer construções livres com blocos, foi adaptado para uma Edição de Educação e permite aos professores, de forma interdisciplinar, levarem os alunos a explorar o jogo e a computação para aprenderem mais sobre o património, cultura, identidade regional e história da comunidade, tornando-se agentes de construção e transposição num ambiente virtual interativo.

O projeto MI.MOMO.FARO pretende ainda promover a discussão pública sobre grandes temáticas da Candidatura de Faro a Capital Europeia da Cultura 2027 como o papel da cidade na era digital, a valorização do património cultural enquanto legado para as gerações futuras e a cooperação institucional na regeneração urbana. Nesse sentido, a Câmara Municipal de Faro tem previstas diversas ações de comunicação abertas ao público, nomeadamente, a realização de debates através do Facebook @Faro2027. A primeira discussão, "Faro, cidade Modernista no Sul da Europa", acontecerá já no dia 25 de março, pelas 18h30, e conta com a participação do arquiteto Ricardo Agarez.

Texto de Patrícia Nogueira
Fotografia via Pixabay

Se queres ler mais entrevistas sobre a cultura em Portugal, clica aqui.
minecraft