A edição deste ano da Feira do Livro, no Porto, vai acontecer. Entre 28 de agosto e 13 de setembro, a Feira do livro do Porto regressa aos Jardins do Palácio de Cristal, com 120 pavilhões e mais de 80 participantes.

A programação deste ano terá um especial enfoque na valorização da língua e literatura portuguesa, com destaque para os que trabalham a partir da cidade. O mote para a edição parte de um transcrito da obra de Andreia C.Faria – “Alegria para o fim do mundo” – e, de acordo com a Câmara Municipal do Porto, “a aprendizagem da pandemia vivida nos últimos meses será também transportada para a agenda do certame literário, que promete ainda dar força à escrita e às vozes no feminino”, lê-se em comunicado.

Pela primeira vez, a Feira estender-se-à até à Casa do Roseiral, com concertos ao pôr do sol, e ao Super Bock Arena – Pavilhão Rosa Mota, que vai acolher o ciclo de Debates e uma sessão especial das Quintas de Leitura. Ao todo serão cerca de 80 as entidades (entre livreiros, editoras, alfarrabistas, distribuidores, e entidades públicas ou privadas) que vão garantir “lições, conversas, palavra soprada, rádio, cinema, concertos, oficinas e espetáculos” nesta edição de 2020. A organização fala ainda de um novo conceito, os concertos de fim de tarde, cujo objetivo passa por “reunir músicos de diferentes géneros e gerações, e assim esboçar um retrato do panorama musical na cidade”. Entre os nomes que subirão a palco estão os Baleia, Baleia, Baleia, Angélica Salvi ou Peixe.

Esta será a sétima edição do evento com organização autárquica, e ainda que vá decorrer dentro da normalidade, a autarquia apela aos participantes para que estes cumpram “a legislação em vigor bem como as demais orientações da Direção-Geral de Saúde, no contexto da COVID-19”.

Texto de Bárbara Dixe Ramos
Fotografia Câmara Municipal do Porto

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.