A 19.ª edição do festival acontece, nos dias 18 e 19 de dezembro, em formato presencial e aberto ao público. Os concertos profissionais realizam-se, pela segunda vez, no Centro Cultural de Belém (CCB), em Lisboa, e serão emitidos em direto na RTP Palco.

A Festa do Jazz conta este ano, pela primeira vez, com a colaboração de Beatriz Nunes e Pedro Melo Alves na programação do evento, através da curadoria de um projecto artístico escolhido por cada um deles que integra a programação principal de concertos.

“Enquanto director artístico tenho desde sempre procurado incluir as várias tendências musicais presentes na comunidade jazzística nacional. Creio agora ter chegado o momento de ir mais longe e, por isso, decidi chamar outros ouvidos para propor novas músicas e novas tendências, porque isso é essencial à Festa do Jazz e a qualquer festival que queira manter a beleza a frescura criadas e cuidadas durante praticamente 20 anos. E já sentimos esse impulso na programação deste ano”, diz Carlos Martins.

Nesta edição, regressa também o Encontro Nacional de Escolas de Jazz, em formato presencial e ao vivo, numa programação que decorre na totalidade no Espaço Espelho D’Água, também situado em Belém. De acordo com o comunicado enviado às redações, neste encontro, escolas de norte a sul do país vão tocar para um público diferente, "num momento único em que os participantes se podem ouvir uns aos outros, ter os professores juntos a vibrar com os seus combos, falar sobre o ensino da música em Portugal ou ainda ter os músicos mais velhos a escutar os seus potenciais sucessores".

“A Festa do Jazz foi durante muito tempo o único festival português que, de forma inclusiva, chamou as diversas linguagens em cena do jazz português sendo essa uma premissa essencial para a construção de uma ideia de pertença alargada a todos os que fazem boa música, independentemente do seu estilo. A programação deste ano continua essa prática altamente saudável e orgânica de ter os melhores frutos da época”, refere o director artístico. Consulta a programação aqui.

Organizada pela Associação Sons da Lusofonia (ASL), a iniciativa procura também fomentar os debates e a construção de massa crítica no jazz português. Por isso, vai promover duas conversas que vão acontecer também no Espaço Espelho de Água: uma sobre o ensino do jazz em Portugal, no dia 18, às 15 horas, e outra sobre a necessidade de trabalhar em rede, numa conversa intitulada de "Portugal Jazz (a Rede Portuguesa de Jazz)", no dia 19, à mesma hora.

Sendo o último evento dedicado a este género musical a acontecer este ano em Portugal, a programação da iniciativa obedeceu ao princípio de dar visibilidade e oportunidade de apresentação pública a grupos que não tiveram presenças noutros festivais de jazz, na região da Grande Lisboa.

Privilegiando na programação a igualdade de género, a Festa do Jazz procura ainda dar oportunidade a performers e líderes femininas de apresentarem os seus projetos. Para além disso, continua ainda uma prática comum no jazz, a do encontro espontâneo de improvisadores, ao fomentar, desde o ano passado, os Encontros entre músicos – iniciativa que, nesta edição, tem André Fernandes como curador do Encontro a que chamou "Foca".

Ainda nesta edição acontecem os prémios Lurdes Júdice para o Encontro de Escolas de Jazz e os prémios RTP/Festa do Jazz que celebram o melhor do jazz português em cinco diferentes níveis.


Fotografia cedida pela organização

Se queres ler mais notícias, clica aqui.
festa do jazz