A 18.ª edição da Festa do Jazz acontece nos dias 12 e 13 de setembro, no Centro Cultural de Belém (CCB), com transmissão em direto na RTP Palco.

Durante dois dias, a iniciativa vai receber vários artistas e propostas musicais, com destaque para o concerto Mali M´Buli Baaba – que homenageia Bernardo Sassetti, no ano em que celebraria 50 anos – e a sessão de encerramento com Maria João e Carlos Bica.

Pelo palco do Pequeno Auditório passarão também Tomás Marques Quarteto, Andy Sheppard Costa Oeste, o projeto Gabriel Ferrandini “Volúpias”, João Barradas a solo, Ricardo Toscano “The Sound of Desire” e ainda os Encontros – o primeiro com Carlos Martins, João Paulo Esteves da Silva, Carlos Bica e João Lobo; e um segundo com as instrumentistas Inês Proença, Maria Fonseca, Sofia Queiróz e Beatriz Félix.

A Festa do Jazz 2020 conta ainda com o Encontro Nacional de Escolas, que pretende dar espaço aos novos artistas portugueses, e a entrega dos Prémios RTP / Festa do Jazz, que promove a música improvisada e premeia os melhores músicos nacionais.

Destaque ainda para o debate “Portugal, Jazz e Racismo”, com Mamadou Ba, dirigente da SOS Racismo, Maria João e Selma Uamusse. Lembrando que o jazz tem na sua génese uma forte ligação às comunidades negras, aos seus ritmos e formas de interpretação musical, a organização refere, em comunicado, que neste debate “pretende recuperar-se essas referências históricas, trazendo-as para a atualidade de forma a refletir sobre o momento atual no que diz respeito às questões raciais, mas também de diferença de género”.

A programação arranca no próximo sábado com o lançamento do “Livro Festa do Jazz”, que conta a história deste festival que se dedica, há 18 anos, a apoiar e a promover a comunidade dos músicos de jazz portugueses. “A Festa do Jazz português é o exemplo da criação de comunidade e de inscrição da improvisação musical no tecido social e cultural nacional e europeu. A taxa de êxito nesta inscrição é tão alta que os novos grandes músicos de jazz portugueses começaram todos na Festa do Jazz, desde 2003”, disse, ao Gerador, Carlos Martins, músico e diretor artístico da iniciativa organizada pela Associação Sons da Lusofonia (ASL).

Esta edição realiza-se, pela primeira vez, no Centro Cultural de Belém (CCB), em Lisboa, e conta com uma parceria com a RTP Palco, onde todos conteúdos estarão disponíveis e os concertos serão transmitidos em direto.

Este ano, o contexto de dificuldade económica vivido pelos músicos devido à pandemia levou a Festa do Jazz a associar-se ao Fundo de Solidariedade com a Cultura, através da recolha de donativos, via website Associação Sons da Lusofonia, que revertem a 100% para o fundo.

Texto por Flávia Brito
Fotografia de Manuel Linhares por Vitorino Coragem

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.
Festa do Jazz 2020