O espetáculo do coletivo SillySeason que marca o centenário dos Loucos Anos 20, Folle Époque, estará em cena em Lisboa, no Centro Cultural de Belém, de 16 a 19 de janeiro, depois de ter estreado no Teatro Carlos Alberto, no Porto, no final de outubro.

Com conceção e direção dos SillySeason – Cátia Tomé, Ivo Saraiva e Silva e Ricardo Teixeira –  e interpretação dos próprios e de Rodolfo Major, Sara Ribeiro e Teresa Coutinho, Folle Époque propõe uma revisitação dos Loucos Anos 20 à luz dos tempos atuais, de difícil caracterização e ambiguidade.

No espetáculo, os anos 20 do século XX fundem-se a 2020, num jogo de narrativas hipotéticas que remetem para estes dois tempos – ambos caraterizados pela vertigem de uma catástrofe iminente –, colocando-os frente a frente. "Partindo do legado histórico dos anos 1920 e dos factos que chegaram até nós, Folle Époque desenvolve-se entre a realidade e a ficção, como num mise en abyme (ou narrativa em abismo)", pode ler-se no comunicado, que deixa ainda a interrogação: "A loucura e os seus excessos espelham o conflito ético-moral da pós-modernidade. Como serão os novos anos 20?"

O espetáculo – que conta com coprodução do Centro Cultural de Belém e do Teatro Nacional São João – estará em cena no CCB, em Lisboa, de 16 a 19 de janeiro de 2021, sábado e domingo, às 11h, e segunda e terça, às 19h. Seguem-se depois apresentações no Centro Cultural Olido, em São Paulo, em data ainda a anunciar.

Texto por Flávia Brito
Fotografia de Alípio Padilha

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.
Folle Époque_@Alípio Padilha