A reabertura da Galeria Municipal do Porto, marcada para o dia 2 de junho, prevê revisão do calendário de exposições.

De acordo com as normas de segurança impostas pelo Governo, lançadas no Comunicado do Conselho de Ministros de 30 de abril de 2020, a partir do dia 1 de junho, é permitida a “reabertura dos cinemas, teatros, auditórios e salas de espetáculos”, mediante “lotação reduzida e distanciamento físico”. E é nestas condições que a Galeria Municipal da cidade do Porto vai abrir novamente as portas.

Para garantir a segurança dos visitantes e funcionários, o uso de máscara passa a ser obrigatório e o número máximo de visitantes em simultâneo será dividido - 20 pessoas no piso 0 e 10 pessoas na mezzanine.

Mas nem só de medidas de segurança se faz esta reabertura. O calendário de exposições para 2020 e 2021 sofreu alterações, feitas pela equipa artística da Galeria em colaboração com os artistas, curadores e parceiros do programa. O trabalho conjunto resultou no reagendamento de vários projetos até novembro de 2021, inicialmente previstos até agosto do mesmo ano.

Sem qualquer evento associado à inauguração, de forma a cumprir as normas emanadas pelo Governo, a GMP reabre com "Máscaras (Masks)” - curadoria de João Laia e Valentinas Klimasauskas -  e "Apesar de não estar, estou muito" de Diogo Jesus, com curadoria de João Ribas. Ambas tinham data de abertura marcada para março, mas nunca chegaram a estar disponíveis ao público.

Já a exposição coletiva e retrospetiva "Anuário 19" esteve apenas uma semana aberta ao público e, por isso, será também retomada no dia 2 de junho, no Palácio das Artes - Fundação da Juventude.

O calendário completo da Galeria Municipal pode ser consultado aqui.

Texto de Bárbara Dixe Ramos
Fotografia disponível no site da GMP

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.
galeria-municipal-do-porto