Para além das competições internacional e nacional, esta última focada em longas e curtas-metragens de produção portuguesa, o festival IndieLisboa apresenta também a chamada secção “Novíssimos” – destinada a jovens cineastas -, onde se encontram este ano, 14 filmes a concurso.

No total, esta competição conta com 13 curtas (seis delas em estreia absoluta) e uma longa-metragem, realizadas em contexto escolar ou sem “qualquer apoio”. Esta é, aliás, uma secção já habitual na programação do festival, cuja 16ª edição decorre entre esta quinta-feira, dia 2 de maio, e o próximo dia 12 de maio.

Em competição constam-se os filmes  A Casa e os Cães, longa-metragem de Madalena Fragoso, Margarida Meneses; Berço, de Inês Luís; O Braço do André, de Tomé Pereira; Corpo, de Catarina Mendes; Corporealitis, de Beatriz Bagulho; O Despiste, de Francisco Noronha; Equinox, de Bruno Carnide; Estas Mãos São Minhas, de André Ferreira; Há Dias Assim, de Inês Delicioso; História da Noite, de Inês Nunes; Incomum, de João Marques; Jantar, de Tatiana Ramos; Ocupa, de Marta Salazar; e, Tu. Tu. Tu., de Marcelo Tavares.

Numa entrevista recente ao Gerador, Nuno Sena, um dos programadores e fundadores do festival, falou da importância desta secção como “viveiro de talentos”, onde constam “realizadores que estão a dar os primeiros passos” e que, por isso “ganham uma visibilidade acrescida” no contexto do festival.

“A secção é encarada com uma missão maior, até porque o filme vencedor passa a estar representado pela Portugal Film. No ano passado, dois dos filmes apresentados, vindos um contexto escolar, foram apresentados no Festival de Cannes e no Festival de Berlin. Há aqui qualquer coisa que mudou. Era impensável há 10 anos haver filmes de escola a competir em festivais de Classe A, e isso já está a acontecer”, acrescentou o responsável.

Na programação por dias do festival, a secção conta com três datas na agenda, cada uma delas com um conjunto distinto dos filmes exibidos. Assim, a exibição dos “Novíssimos” inicia-se esta sexta-feira, dia 3, seguindo-se a segunda sessão no sábado, dia 4 e por último, a terceira sessão, no domingo, dia 5. Qualquer uma das sessões terá lugar na Sala Manoel de Oliveira, no Cinema São Jorge.

Texto de Ricardo Ramos Gonçalves
Fotografia de Miguel Ángel Hernández via Unsplash

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.