Em jeito de celebração pelo primeiro aniversário de “Vida Nova”, o seu último disco a solo, Mandel Cruz editou-o em vinil. A começar em “Como um Bom Filho do Vento” e acabar em “Vida Nova”, o alinhamento é igual ao do CD.

Conhecido pelo percurso preenchido por Ornatos Violeta, Pluto, Foge Foge Bandido e Supernada, foi apenas em 2019 que o músico portuense se estreou a solo, com “Vida Nova”. Como um Bom Filho do Vento”, “Anjo Incrível”, “Caso Arrumado”, “Ainda Não Acabei”, “O Céu Aqui”, “Libelinha”, “Cães e Ossos”, “Beija-flôr”, “Invenção da Tarde”, “O Navio Dela”, “Onde Estou Eu” e “Vida Nova” é o alinhamento do vinil, tal como já havia sido em CD e nas plataformas digitais. 

Apesar de o desconfinamento ainda se fazer de forma tímida, Mandel Cruz tem já três datas de concertos agendadas: 27 de junho no Festival Artes à Vila, a ser transmitido online a partir do Mosteiro Santa Maria da Vitória na Batalha; 25 de setembro no Sons à Sexta, no Centro de Negócios e Serviços do Fundão; e finalmente a 29 de outubro, com banda, no Teatro Sá da Bandeira.

Disponível para venda desde o dia 19 de junho, o vinil pode ser comprado na Turbina. Podes encomendá-lo, aqui

Texto de Carolina Franco
Fotografia disponível via Comunidade Cultura e Arte
Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.