"O destino português de verão,
sereno,
saudável
e culto
são os Jardins Efémeros,
em Viseu."

Jardins Efémeros, 2021

Assim se completa a nona edição de Jardins Efémeros, um evento multidisciplinar que acontecerá de 3 a 11 de Julho em Viseu. Com uma programação de arte e cultura nacional e internacional distinta, a plataforma apresentará diversas rotas, circuitos e lugares, espetáculos, exposições e performances, gratuitas para toda a comunidade.

"A experimentação como expressão de liberdade criativa e crítica" através das mais diversas artes, de forma individual e coletiva são algumas das máximas que alimentam as edições dos Jardins Efémeros, todos os anos. Promovendo a transformação criativa e a perceção da cidade, a plataforma cultural apresenta criadores locais, nacionais e internacionais, nas mais diversas áreas que promovem a invenção/reinvenção de redes diversas. É também disso que a edição de 2021 é feita.

Marco Franco, fotografia de Daniel Blaufuks

As confirmações já se fazem ouvir, contando com a presença de artistas internacionais e nacionais como: como Pedro Rebelo e Bill Fontana, que apresentarão uma criação de instalação sonora, nos claustros da Catedral de Viseu; Deena Abdelwahed, como um concerto estreia em Portugal; Marco Franco, músico que presenteia a edição com o novo álbum: “Arcos” assim como GalaDrop, com o seu novo álbum e João Pais Filipe que apresentará uma instalação e concerto, entre outros.

A programação incluí ainda espetáculos "Transdisciplinares / Híbridos", nomeadamente, “Territoires Éphemeres” com Dasha Rush, Valentin Tzsin e Alex Guevara, “NKISI NKONDI” de Gil Mac e “Filhos de Abel” de Patrícia Portela, uma parceira com o Teatro Viriato.

Na categoria de artes plásticas, a edição 2021 de Jardins Efémeros apresentará a "Exposição de Desenho e de Escultura" de Marco Franco; "Now You See Me Moria", exposição Internacional sobre o quotidiano dos refugiados; "Empatias", projeto de Reabilitação do Jardim do Hospital Psiquiátrico de Viseu
De Sandra Oliveira, VHILS e Cristina Robalo.

O evento inclui oficinas para todas as idades e escolaridades, no qual se destaca a formação de Valentin Tszin
para profissionais de dança, artista e investigador de dança nascido na Rússia. O seu método (denominado 4/4 4/3 4/0) assenta nas formas e princípios fundamentais do teatro dramático, taekwondo, butoh e canto gutural. Integrará juntamente com Dasha Rush e Alex Guevara o espetáculo "NKISI NKONDI".

NKISI NKONDI, espetáculo

O projeto educativo "Casa dos Sonhos" também estará presente no seu decorrer, dedicado especialmente às crianças, dedicando-se à arte e, cultura, abordando questões como a saúde física e mental, através de um serviço
educativo JE’21, que visitará as instituições, para que as crianças possam aceder a todas as atividades artísticas e culturais.

Os percursos alternativos propostos por Gil Rodrigues professora de teatro e "caminhante pelo mundo há mais de 2 décadas" permitem (re)descobrir a região de Viseu. "Roads to Nowhere", integrados no Jardins Efémeros, são percursos que compõem rotas, circuitos e lugares, até então desconhecidos. "Os percursos demorarão entre uma hora ou vários dias, dependendo do tempo e da vontade de cada um, unindo-os numa relação perfeita e equilibrada entre
o desconhecido, a natureza e o património edificado", lê-se em comunicado.

Os Jardins Efémeros (JE) são uma plataforma cultural multidisciplinar com sede em Viseu e presentam uma componente experimental, com objetivo de potenciar a relação entre artistas, curadores, investigadores, universidades, associações culturais, sociais, de comércio, turísticas, empresas, museus, escolas, município, residentes e visitantes.

Este ano, Jardins Efémeros contam com a realização organizada pela Pausa Possível – Associação Cultural e de Desenvolvimento, e é financiada pelo Município de Viseu, pela Direcção-Geral das Artes e pela Fundação Millennium bcp.

O Gerador é parceiro da Jardins Efémeros


Texto de Patrícia Silva
Fotografia de Deena Abdelwahed

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.