Lolo Arziki (cineasta, ativista LGBT) é artista não-binárie de Cabo Verde, que tem vivido em Portugal nos últimos 14 anos e trabalhado também no Luxemburgo e em Cabo Verde. Fez a licenciatura em Vídeo e Cinema Documental pelo Instituto Politécnico de Tomar e frequenta, atualmente, o Mestrado em Estética e Estudos Artísticos com especialização em Cinema e Fotografia pela FCSH - Universidade Nova de Lisboa. Está, neste momento, a preparar o projeto de fim de curso sobre afetividade em idosos. 

Em 2015, realizou a vídeo-performance “Relatos de uma rapariga nada púdica”, um vídeo e uma confissão pessoal, sobre sexualidade e afirmação sexual no contexto cultural de Cabo Verde. A curta-metragem foi exibida na Finlândia, Luxemburgo, Eslovénia, Brasil, França e Guiné-Bissau. Dirigiu também o documentário Homestay, curta-metragem sobre um programa de turismo comunitário protagonizado por mulheres na ilha do Maio, Cabo Verde. O documentário recebeu o Prémio Estreia Mundial Televisão no Festival Internacional de Cinema de Avanca, em Portugal, o Prémio de Melhor Filme de Cabo Verde no Plateau International Film Festival e uma Menção Honrosa no Silicon Valley African Film Festival, na Califórnia.

Em 2020, Lolo escreveu o documentário SAKUDI, sobre visibilidade da comunidade queer em Cabo Verde, que foi censurado pelos cinemas cabo-verdianos e pelas bolsas da Associação Audiovisual, devido ao seu tema. 

Lolo faz também curadoria no MIMB - Mostra Itinerante de Cinemas Negros em Salvador da Bahia, e no Queer Little Lies, festival de artes do Theatre d'Esch, no Luxemburgo.

Na Academia Gerador, Lolo Arziki está encarregue do curso de Cinema Africano: do continente à Diáspora. Espreita aqui para descobrires mais informações sobre as formações que temos disponíveis na Academia Gerador.

lolo-arziki-gerador