fbpx

Apoia o Gerador na construção de uma sociedade mais criativa, crítica e participativa. Descobre aqui como.

Mariana Vieira da Silva no Lugar Comum: “Os donos dos jornais inclinam o jornalismo”

O Lugar Comum é feito de pessoas únicas que nos falam do que importa a todos. Esta semana Tiago Sigorelho entrevista Mariana Vieira da Silva, Ministra de Estado e da Presidência.

Texto de Tiago Sigorelho

Apoia o Gerador na construção de uma sociedade mais criativa, crítica e participativa. Descobre aqui como.

A poucos dias de finalizar o mandato do XXIII governo, a Ministra da Presidência dá uma entrevista ao Gerador onde fala do novo ambiente político, da forma como o seu governo e o presidente Marcelo Rebelo de Sousa serão recordados no futuro, das implicações do comunicado da PGR, de como os órgãos de comunicação social estão mais inclinados para a direita e até constrói um Lego sobre excedentes orçamentais.

Biografia

Mariana Vieira da Silva nasceu em Lisboa, em 1978.

É Licenciada em Sociologia, pelo ISCTE-IUL, concluiu a parte curricular do doutoramento em Políticas Públicas, no ISCTE, encontrando-se a terminar uma dissertação sobre Políticas de Saúde e de Educação em Portugal.

Exerceu funções como investigadora no CIES-IUL, trabalhando na área das Políticas públicas, Políticas de saúde, Políticas de educação e Políticas de justiça, com diversas publicações nestas áreas. Foi, ainda, formadora do INA e do IPPS-IUL.

Entre 2009 e 2011, foi adjunta do Secretário de Estado Adjunto do Primeiro-Ministro, tendo anteriormente trabalhado como assessora da Ministra da Educação Maria de Lurdes Rodrigues, entre 2005 e 2009.

Fez parte da equipa organizadora do Fórum das Políticas Públicas, no ISCTE, e foi membro do Conselho Consultivo do Descobrir – Programa Gulbenkian para Cultura e Ciência, da Fundação Calouste Gulbenkian.

Exerceu no XXI Governo Constitucional as funções de Secretária de Estado Adjunta do Primeiro-Ministro, entre novembro de 2015 e fevereiro de 2019, e de Ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, entre fevereiro e outubro de 2019.

Exerceu no XXII Governo Constitucional as funções de Ministra de Estado e da Presidência, desde outubro de 2019.

Se este artigo te interessou vale a pena espreitares estes também

9 Maio 2024

Sampaio da Nóvoa: “Marcelo degradou seriamente a instituição Presidência da República”

7 Março 2024

Pacheco Pereira no Lugar Comum: “Uma guerra na UE em 10 anos tem uma chance muito elevada”

Academia: cursos originais com especialistas de referência

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Introdução à Produção Musical para Audiovisuais [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Fundos Europeus para as Artes e Cultura II – Redação de candidaturas [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Escrita para intérpretes e criadores [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Comunicação Cultural [online e presencial]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Planeamento na Produção de Eventos Culturais [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Criação e manutenção de Associações Culturais (online)

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Iniciação ao vídeo – filma, corta e edita [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Narrativas animadas – iniciação à animação de personagens [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Jornalismo e Crítica Musical [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Soluções Criativas para Gestão de Organizações e Projetos [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Viver, trabalhar e investir no interior [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Financiamento de Estruturas e Projetos Culturais [online]

Duração: 15h

Formato: Online

Investigações: conhece as nossas principais reportagens, feitas de jornalismo lento

22 Julho 2024

A nuvem cinzenta dos crimes de ódio

Apesar do aumento das denúncias de crimes motivados por ódio, o número de acusações mantém-se baixo. A maioria dos casos são arquivados, mas a avaliação do contexto torna-se difícil face à dispersão de informação. A realidade dos crimes está envolta numa nuvem cinzenta. Nesta série escrutinamos o que está em causa no enquadramento jurídico dos crimes de ódio e quais os contextos que ajudam a explicar o aumento das queixas.

5 JUNHO 2024

Parlamento Europeu: extrema-direita cresce e os moderados estão a deixar-se contagiar

A extrema-direita está a crescer na Europa, e a sua influência já se faz sentir nas instituições democráticas. As previsões são unânimes: a representação destes partidos no Parlamento Europeu deve aumentar após as eleições de junho. Apesar de este não ser o órgão com maior peso na execução das políticas comunitárias, a alteração de forças poderá ter implicações na agenda, nomeadamente pela influência que a extrema-direita já exerce sobre a direita moderada.

A tua lista de compras0
O teu carrinho está vazio.
0