O Palheta Jazz Trio é um trio de piano à antiga, composto por três músicos da cena jazzística nacional: João Pedro Coelho no piano, Romeu Tristão no contrabaixo e Nemanja Delic na bateria. Tocam jazz do antigamente, mesmo à antiga!

Este é um projeto que nasceu há cerca de um ano nas jam sessions do Palheta Bar, no Cais do Sodré, em Lisboa. Esta formação ainda não tem nenhum disco e assume que é ao vivo que a sua identidade jazzística se sobressai.

É já no dia 22 de setembro, pelas 17h, que os podes ouvir no Festival Iminente, no palco escada. O Festival decorre entre os dias 19 e 22 de setembro no Miradouro Panorâmico de Monsanto.

Para já, fica com a seleção e comentário de 10 músicas de autores portugueses, pelo Romeu Tristão – o contrabaixista do Palheta Jazz Trio:

Beatriz da Conceição, Voltaste

“Um Fado com uma das letras mais bonitas que conheço. Também vale a pena ir ouvi-lo ao vivo, na Maria da Mouraria, num domingo à noite, cantado pela Maria da Nazaré.”

Teresinha Landeiro, O Riso Que Me Deste

“Este Fado foi um dos primeiros que ouvi ao vivo e a cores, numa casa de fados, cantado por uma das grandes fadistas da nova geração, Teresinha Landeiro. E, provavelmente, uma das razões pelas quais me apaixonei por esta Música lisboeta.”

Bernardo Sassetti, Sonho Dos Outros

“Esta é mesmo triste… Mas sabe bem. E é do grande Bernardo Sassetti.”

Afonso Pais, Pode Ser

“Uma canção bonita, de um dos meus músicos preferidos. Gravada num ‘estúdio’ especial.”

Camané, Súplica

“Cantado por uma lenda viva do Fado e acompanhado por músicos de excelência. A melodia, a letra, a interpretação… Não dá para ser muito melhor.”

Carlos Paredes, Verdes Anos

“Carlos paredes! Esta tinha que estar na lista. A expressão máxima da guitarra portuguesa.”

Lena D’Água, Mariazinha

“A Lena D’água foi das cantoras que mais emoções me transmitiu ao vivo. Escolhi a versão dela de uma bela canção de José Mário Branco, cantada no clube de Jazz do meu coração e com um solo do trompete mágico de um dos melhores músicos que conheço, o João Moreira.”

Bruno Santos, Caparica

“Um dos meus temas preferidos de um músico a quem devo uma grande parte do que sou hoje em dia. Talvez uma das minhas maiores influências e alguém a quem tenho o privilégio de chamar amigo. (solos lindos do João Moreira e do John Ellis)”

Ricardo Toscano, Song Of Hope

“Uma melodia de um dos grandes músicos da nova geração do Jazz, com quem tenho o prazer de tocar e aprender regularmente, juntamente com o resto do seu Quarteto.”

André Santos, Avô João

“Uma linda canção! De outro músico incrível com quem tenho tido a honra de dividir o palco inúmeras vezes. E esta linda canção ainda não tem letra… Alguém?”

Fotografia de Milena Correia
O Gerador é parceiro do Festival Iminente


Se queres ouvir mais Mesclas da Semana, clica aqui.