O Museu Calouste Gulbenkian reabre ao público dia 18 de maio, Dia Internacional dos Museus, com restrições no número de visitantes. As entradas são gratuitas.

O programa de reabertura inicia ainda antes do dia 18 de maio, com a inauguração de uma exposição participativa virtual. No dia 16 de maio, sábado, meia centena de obras escolhidas pelo público, na sequência do desafio lançado nas redes sociais Curador por um dia, vão ser exibidas online. Ainda durante o fim de semana, no domingo, vai ser feita a leitura virtual em farsi e em português da obra persa – O Leão e a Lebre.

Para assinalar simultaneamente a reabertura do Museu Gulbenkian e a celebração do Dia Mundial dos Museus, o Edifício da Coleção do Fundador reabrirá as suas portas no dia 18 “com um programa comemorativo online que inclui música, dança, performances, depoimentos, visitas fora de horas e conversas com artistas e responsáveis de museus nacionais e internacionais”, pode ler-se em comunicado.

O programa contempla a resposta ao desafio lançado a alguns profissionais, que garantem o funcionamento diário do Museu, bem como um ciclo de conversas com artistas, convidados e responsáveis de outros Museus. Numa outra sessão será apresentado o projeto O Poder da Palavra. Entre os convidados do evento diário estão Manuel Fontán del Junco (diretor da Fundación Juan March, Espanha), Katarina Pierre (diretora do Bildmuseet da Umeå University, Suécia), os artistas Ângela Ferreira, Hugo Canoilas e Mariana Silva e a curadora Rita Fabiana. 

Quanto às visitas presencias à Coleação do Fundador e à exposição temporária A Idade de Ouro do Mobiliário Francês, as entradas serão limitadas por número de visitantes. Já a Coleção Moderna permanecerá de portas fechadas.

O programa completo do evento pode ser consultado aqui.

Texto de Bárbara Dixe Ramos
Fotografia do Museu Caloustee Gulbenkian

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.