Refletir sobre o papel da humanidade no seu relacionamento com o planeta é a proposta da edição deste ano da Bienal'21 Fotografia do Porto. Sob o mote  “O que acontece com o mundo acontece connosco”, a organização desafiou  16 curadores e 46 artistas nacionais e internacionais a mostrarem “de que forma é que os sistemas humanos e naturais estão interligados” e a refletirem “sobre a interdependência entre as diversas esferas da vida, da ecologia à sociedade”, de acordo com nota enviada ao Gerador.

Entre 14 de maio e 27 de junho a Bienal’21 terá 19 propostas expositivas, 15 delas espalhadas pela baixa da ‘Cidade Invicta’, em espaço físico e digital. Uma das exposições estará patente em Lisboa e uma outra online.  

Neste âmbito, o destaque vai para a mostra Cidades na Cidade, na Estação de Metro de São Bento, que surge no seguimento de uma convocatória ibérica lançada pela plataforma Ci.CLO com o apoio do BPI e da Fundação “La Caixa”, em parceria com a PHotoESPAÑA, ArtWorks e Metro do Porto. “O open call desafiou artistas portugueses e espanhóis a desenvolver projetos fotográficos sobre iniciativas comunitárias urbanas no campo da justiça social e ecológica”, tendo sido selecionados os projetos de Carlos Barradas, que realizou um trabalho o URBiNAT, no Porto, e María Sainz Arandia, que focou a Cabanyal Horta, em Valência (Espanha).

Também a exposição Sustentar, na Árvore, resulta de um programa de criação, formação e exposição itinerante, coordenado e produzido pela Ci.CLO em parceria com as Câmaras Municipais de Évora, Figueira da Foz, Loulé, Mértola, Setúbal e a EDIA, sendo esta a primeira vez que os resultados são apresentados publicamente. O Sustentar contempla 6 iniciativas experimentais focadas na área da sustentabilidade, implementadas em território nacional, como resposta aos desafios sociais. Os projetos foram desenvolvidos por 6 artistas — Elisa Azevedo, Evgenia Emets, Margarida Reis Pereira, Maria Oliveira, Nuno Barroso, Sam Mountford.

No programa da Bienal'21 estão também previstas conversas públicas “que exploram e confrontam ideias sobre o impacto das nossas ações no mundo em que vivemos”.

Em paralelo, acontece ainda a primeira edição do workshop internacional Art in Action - Climate and Social Responsibility, que pretende “analisar estratégias de responsabilidade social e ambiental no âmbito da organização de festivais de artes visuais e mostrar de que forma é que os artistas, curadores e profissionais de artes visuais podem ativar sua mensagem para gerar mudanças efetivas”, de acordo com a mesma nota.  Os moderadores do workshop, são Krzysztof Candrowicz, Anna-Kaisa Rastenberger, Arianna Rinaldo, Erik Vroons. Esta atividade decorrerá no Porto, nos dias 15 e 16 de maio e tem  inscrição é gratuita (limitada a 20 participantes

A Bienal Fotografia do Porto é organizada e produzida pela Plataforma Ci.CLO em coprodução com a Câmara Municipal do Porto, e financiada pela Direção-Geral das Artes, com o apoio mecenático do BPI e da Fundação ”la Caixa”, o apoio institucional da Comissão Nacional da UNESCO e uma rede de vários parceiros estratégicos a nível nacional e internacional, nomeadamente Pro Helvetia - Swiss Arts Council, Futures, Universidade do Porto, Parsons School of Design e Fotofestiwal.

“O acesso às exposições e atividades paralelas é gratuito e sujeito à lotação dos vários espaços, que cumprirão todas as medidas de segurança sanitária necessárias”, assegura a organização.

Local: Porto, Lisboa e Online

Datas: De 14 a 27 de maio

Preço: Gratuito (lotação limitada)


Fotografia: De Vagar O Mar, de Maria Oliveira
O Gerador é parceiro da Bienal'21 Fotografia do Porto