Desde a Campanha do Trigo de Salazar, há quase cem anos, que o Alentejo não via um ecocídio assim. O dinheiro público e a água do Alqueva estão a regar o crescimento descontrolado das monoculturas industriais. O Gerador partiu à descoberta desta mudança da paisagem do Alentejo, atravessou olivais e amendoais intensivos a perder de vista, conversou com artistas, investigadores, políticos e empresários. E descobriu que há quem proteja a riqueza que resta e semeie futuros entre os prenúncios do deserto.

Esta reportagem, escrita pelo Francisco Colaço Pedro, é o resultado de uma Bolsa Gerador Reportagens Essenciais.

Lê a reportagem completa, aqui! Esta reportagem foi inicialmente publicada na Revista Gerador de setembro de 2021.

Texto de Francisco Colaço Pedro
Fotografia de José Manuel Rodrigues
gerador- alentejo