Inaugurada no dia 16 de dezembro, Um realismo cosmopolita: o grupo KWY na coleção de Serralves é a mais recente mostra que esta fundação leva à Galeria Municipal de Torres Vedras. A exposição prolonga-se até dia 21 de fevereiro de 2021.

Os caminhos entre a Paços - Galeria Municipal de Torres Vedras e a Fundação de Serralves continuam a cruzar-se.

O trabalho do grupo KWYf surgiu a partir de uma exposição comissariada em 2015, por Catarina Rosendo, para o Museu de Arte Contemporânea de Serralves. Integra um programa de exposições e apresentação de obras da coleção de Serralves especificamente selecionadas para os locais de exposição.

A exposição representa o "interesse, simultaneamente entusiasta e crítico, pelas novas configurações do real, pelos objetos e acontecimentos quotidianos, pela sociedade de consumo e pela omnipresença da imagem no espaço público é um sinal de como a arte se pode colocar no centro dos acontecimentos socioculturais do seu tempo", lê-se no comunicado.

O grupo KWYf destaca-se pela sua singularidade. É constituído por Lourdes Castro, René Bertholo, António Costa Pinheiro, João Vieira, José Escada e Gonçalo Duarte, pelo búlgaro Christo e pelo alemão Jan Voss.
Nos anos 90, foi responsável pela abertura da arte portuguesa ao contexto internacional, dando impulso a um dos períodos mais estimulantes da cultura europeia no século XX.

Durante a inauguração foi feita uma visita guiada à exposição pela curadora Joana Valsassina e estiveram presentes Ana Pinho, presidente da Fundação Serralves; o presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras Carlos Bernardes, e a vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Torres Vedras, Ana Umbelino.

A exposição recebe visitas diariamente, entre as 10h00 e as 13h00 e as 14h00 e as 18h00.

Texto por Patrícia Silva
Fotografia retirada do website Blogue Expressão