Um presente (talvez quase) perfeito para Jorge Jácome. O realizador português venceu o Grande Prémio do Festival de Curtas de Hamburgo com “Past Perfect”: um ensaio visual experimental que indaga sobre um ideal de passado (e de presente), numa exploração – além-fronteiras, além-temporalidades – da melancolia do espírito humano, numa procura de resolução utópica do indivíduo – e, talvez, do mundo.

O filme resulta de uma adaptação da peça “Antes”, de Pedro Penim, e é a segunda curta-metragem de Jorge Jácome a ser premiada no Festival de Curtas de Hamburgo. O júri, composto por Pela del Álamo, Peter Van Hoof, Ana David, Jennifer Reeder e Pawel Wieszczecinski, considerou “Past Perfect” como o grande vencedor do festival por “nos levar numa viagem hipnótica através do nosso próprio imaginário pessoal. Past Perfect olha atrás no tempo de uma forma excepcional, para providenciar uma experiência partilhada da solidão dos tempos modernos”.

“Past Perfect”, distribuído pela Portugal Film – Portuguese Film Agency, começou a sua jornada pelos festivais de cinema internacionais em Fevereiro, na Berlinale, e já passou por inúmeros festivais desde então. Em terreno nacional, estreou em Maio, no Indie Lisboa, onde venceu o prémio de Melhor Curta-Metragem.

Texto de Teresa Vieira
Imagem de “Past Perfect” (Jorge Jácome, 2019)

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.