A iniciativa “Sons no Património”, promovida pela Área Metropolitana do Porto (AMP), está de regresso para uma segunda edição. Entre 26 e 29 de setembro, 17 os municípios vão receber o mesmo número de concertos ao ar livre e de forma gratuita. O programa, que se prolonga por quatro dias, apresenta uma grande variedade de oferta. “Entre profano e religioso, contemporâneo e erudito, jazz e tradicional, blues e fado, eletrónico e acústico, o programa é variado e destina-se a celebrar e a valorizar o património à escala metropolitana através da música”, pode ler-se em comunicado.

Os espaços que vão receber os espetáculos dividem-se entre praças, parques, mosteiros, igrejas, entre outros. Ao todo, vão subir a palco 15 projetos artísticos diferentes: Jack Broadbent, Gisela João, Manuel de Oliveira, Real Confraria do Canto Arouquense, Danças Ocultas, Teresinha Landeiro, Rua da Lua, Manuel Linhares, Pedro Caldeira Cabral, Anaquim, António Chaínho Trio, Angelicus Duo, Rui Massena, MurMur e O GAJO.

“À celebração da riqueza inesgotável do mosaico patrimonial da região corresponde um programa artístico eclético, pensado e adequado a cada lugar, instigador de novos contactos, leituras e experiências dos territórios e gerador de convivências naturais e outras menos prováveis”, pode ler-se. A ideia nasceu em 2018 e pretende valorizar os 17 municípios que integram a Área Metropolitana do Porto.

O programa completo pode ser consultado aqui.

Texto por Gabriel Ribeiro
Fotografia de Michal Czyz via Unsplash

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.