A Porto Design Biennale acontece pela segunda vez entre os dias 2 de junho e 25 de julho, nas cidades do Porto e Matosinhos. O evento composto por 49 atividades - programação proposta pelo curador geral, Alastair Fuad-Luke - reflete e explora a construção de comunidades de mudança. Esta segunda edição terá também programação online.

Pensado para a participação de todxs, visitantes, profissionais e amantes do design a edição Porto Design Biennale deste ano pretende estimular o interesse do design na promoção de novos discursos e práticas, que integrem "a capacidade prospetiva da disciplina de delinear soluções inovadoras para problemas coletivos", lê-se em comunicado.

Composta por exposições, conferências, workshops e publicações, o curador geral, Alastair Fuad-Luke, definiu uma programação que permitisse não só a participação de todas as pessoas que assim o desejasse como estabeleceu uma espaço em que fosse possível (re)pensar estratégias para comunidades que abraçam a mudança.

O programa principal do evento conta com a exposição Museu da Matéria Viva, onde o design é chamado a olhar a nossa relação sustentável com todos os seres vivos, que integrará também um ciclo de expedições e workshops desenvolvidos por Alexandra Fruhstorfer e Seçil Uğur Yavuz; Julia Lohmann, Germany e Violaine Buet, Alastair Fuad-Luke e Tiago Patatas.

Tendo como pontos de instalação o Palacete Viscondes Balsemão e a Praça Carlos Alberto, Cuidar Selvagem: Arquiteturas de Amor e Correspondência, uma proposta orientada por Ana Jara e Alberto Altes, serão apresentadas diversas histórias de práticas que contribuem para aumentar os níveis de cuidado e de amor perante o planeta, "resistindo ao cinismo e à irresponsabilidade tóxica".

Habitar 424 também completa estas instalações. Com curadoria de Fran Edgerley, Inês Marques e Olivia Page apresenta um workshop desenvolvido por e para a comunidade sem-abrigo do Porto. O projeto tem como objetivo conceptualizar o entendimento comum dos sem-abrigo e, e simultâneo, dar crescentes recursos comunitários ao futuro.

porto design biennale

Já no online, o programa geral apresentará a exposição Linhas Invisíveis, curada pelo CRA-Carlo Ratti Associati em colaboração com o MIT Senseable City Lab, que reflete um olhar sobre o processo de gentrificação e nova guetização da cidade com recurso à Big Data. A exposição estará também em exibição no Metro do Porto, na estação 24 de Agosto.

A Porto Design Biennale terá ainda espaços de debate: uma série de podcasts voltados para as ideias lançadas pelo programa Vozes do Atelier, com curadoria de André Cruz e o ciclo Perspetivas Periféricas: Conversas às Sextas, que propõe um conjunto de colóquios participados por académicos interdisciplinares, pensadores não académicos, designers, artistas visuais e performativos e cidadãos.

A edição Porto Design Biennale (2021) é promovida pelos municípios de Porto e Matosinhos e organizado pela esad–idea, Investigação em Design e Arte.

O Gerador é parceiro da Porto Design Biennale.


Texto de Patrícia Silva
Fotografia retirada do website: "Flyttblock", projeto Cuidar Selvagem

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.