A Fundação GDA irá atribuir este ano o Prémio Atores de Cinema a nove pessoas, o triplo de galardoados das edições anteriores, como “reforço do reconhecimento”, num ano cultural marcado pela pandemia da covid-19.

Além disso, a Fundação GDA avança ainda que, pela primeira vez em 13 edições, os prémios não vão ser entregues em cerimónia pública, em virtude da situação pandémica, tendo-se optado por uma alternativa digital. O anúncio dos vencedores será feito através do site da Fundação GDA e das suas redes sociais.

“O cancelamento das atividades presenciais permitiu criar condições para reinventarmos esta edição do Prémio, através da atribuição não de um, mas de três prémios em cada uma das três categorias”, explica Mário Carneiro, diretor-geral da Fundação GDA.

“Apesar do momento difícil que vivemos, não quisemos passar ao lado do trabalho prestado pelos atores portugueses: pelo contrário, entendemos que este momento exige um reforço do seu reconhecimento e da visibilidade do seu mérito artístico”, acrescenta o responsável, citado em comunicado.

Aos nove profissionais distinguidos serão atribuídos os prémios de “Melhor Atriz/Ator Principal” (3.000 euros), “Melhor Atriz/Ator Secundário/a” (2.000 euros) e “Novo Talento” (1.000 euros).

No mesmo comunicado, a Fundação GDA relembra ainda que o Prémio Atores de Cinema Fundação GDA visa “reconhecer o mérito e a excelência do trabalho de interpretação dos atores e atrizes, realizado em longas metragens nacionais de ficção estreadas em sala durante o ano anterior à sua atribuição”.

Este ano, o júri integra os atores Natália Luíza, Pompeu José e Rita Cabaço e serão avaliados trabalhos de interpretação “em produções cinematográficas portuguesas de longa-metragem de ficção, estreadas comercialmente em sala entre 1 de janeiro e 31 de dezembro de 2019”.

Texto de Ricardo Ramos Gonçalves
Fotografia de Kyle Head via Unsplash

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.