fbpx
Apoia o Gerador na construção de uma sociedade mais criativa, crítica e participativa. Descobre aqui como.

Como fazer uma boa canção?

[fusion_text]A Rádio Gerador é a voz do Gerador. Todos os meses, na última noite do…

Texto de Margarida Marques

Apoia o Gerador na construção de uma sociedade mais criativa, crítica e participativa. Descobre aqui como.

[fusion_text]A Rádio Gerador é a voz do Gerador. Todos os meses, na última noite do mês, emitimos um programa de rádio, resultado de uma conversa à mesa com convidados de honra. Na edição deste mês conversámos com Ben Monteiro, músico e produtor dos D’Alva, com a fadista Kátia Guerreiro, a cantora e compositora Joana Alegre e a Catarina Munhá, música e médica. No final, como sempre, deixamos-te o nono capítulo do romance colectivo Modernista Tradicionalista, com texto de Ricardo Neves-Neves e interpretação da actriz Adriana Moniz.[/fusion_text][separator style_type="none" top_margin="" bottom_margin="" sep_color="" border_size="" icon="" icon_circle="" icon_circle_color="" width="" alignment="" class="" id=""][separator style_type="none" top_margin="" bottom_margin="" sep_color="" border_size="" icon="" icon_circle="" icon_circle_color="" width="" alignment="" class="" id=""][separator style_type="none" top_margin="" bottom_margin="" sep_color="" border_size="" icon="" icon_circle="" icon_circle_color="" width="" alignment="" class="" id=""][imageframe lightbox="no" gallery_id="" lightbox_image="" style_type="none" hover_type="none" bordercolor="" bordersize="0px" borderradius="0" stylecolor="" align="none" link="" linktarget="_self" animation_type="0" animation_direction="down" animation_speed="0.1" animation_offset="" hide_on_mobile="no" class="" id=""] [/imageframe][separator style_type="none" top_margin="" bottom_margin="" sep_color="" border_size="" icon="" icon_circle="" icon_circle_color="" width="" alignment="" class="" id=""][separator style_type="none" top_margin="" bottom_margin="" sep_color="" border_size="" icon="" icon_circle="" icon_circle_color="" width="" alignment="" class="" id=""][fusion_text]

“As minhas canções favoritas são sempre uma espécie de uma viagem.”

“Há canções que temos escritas e que ainda não lançámos porque sentimos que não é a altura.”

Ben Monteiro, músico e produtor dos D’Alva[/fusion_text][separator style_type="none" top_margin="" bottom_margin="" sep_color="" border_size="" icon="" icon_circle="" icon_circle_color="" width="" alignment="" class="" id=""][imageframe lightbox="no" gallery_id="" lightbox_image="" style_type="none" hover_type="none" bordercolor="" bordersize="0px" borderradius="0" stylecolor="" align="none" link="" linktarget="_self" animation_type="0" animation_direction="down" animation_speed="0.1" animation_offset="" hide_on_mobile="no" class="" id=""] [/imageframe][separator style_type="none" top_margin="" bottom_margin="" sep_color="" border_size="" icon="" icon_circle="" icon_circle_color="" width="" alignment="" class="" id=""][separator style_type="none" top_margin="" bottom_margin="" sep_color="" border_size="" icon="" icon_circle="" icon_circle_color="" width="" alignment="" class="" id=""][fusion_text]

“Eu sinto coisas diferentes todos os dias e as histórias que eu canto remetem-me sempre para coisas muito especiais.”

“As minhas viagens interiores vão tendo intensidades diferentes em momentos diferentes da mesma canção. A minha interpretação varia cada vez que eu a canto.”

“Eu ouvia fado sozinha, não porque tivesse vergonha, mas porque mais ninguém ouvia.”

Katia Guerreiro, fadista[/fusion_text][separator style_type="none" top_margin="" bottom_margin="" sep_color="" border_size="" icon="" icon_circle="" icon_circle_color="" width="" alignment="" class="" id=""][imageframe lightbox="no" gallery_id="" lightbox_image="" style_type="none" hover_type="none" bordercolor="" bordersize="0px" borderradius="0" stylecolor="" align="none" link="" linktarget="_self" animation_type="0" animation_direction="down" animation_speed="0.1" animation_offset="" hide_on_mobile="no" class="" id=""] [/imageframe][separator style_type="none" top_margin="" bottom_margin="" sep_color="" border_size="" icon="" icon_circle="" icon_circle_color="" width="" alignment="" class="" id=""][separator style_type="none" top_margin="" bottom_margin="" sep_color="" border_size="" icon="" icon_circle="" icon_circle_color="" width="" alignment="" class="" id=""][fusion_text]

“A necessidade e autenticidade são as coisas que marcam a reacção de um ouvinte.”

“O processo criativo tem de ser verdadeiro. Se tu escreves uma letra, se tu compões uma melodia, o processo tem de ser pessoal e verdadeiro. Tem que expressar verdadeiramente qualquer coisa. Não pode ser feito a pensar num qualquer fim comercial.”

“Um disco é como se fosse parte de ti, mas depois deixa de ser. É como quem tem um filho, depois ficas com aquela responsabilidade. É como se deixasse de ser teu mas fosse, ao mesmo tempo, intricadamente uma responsabilidade tua.”

Joana Alegre, cantora e compositora[/fusion_text][separator style_type="none" top_margin="" bottom_margin="" sep_color="" border_size="" icon="" icon_circle="" icon_circle_color="" width="" alignment="" class="" id=""][imageframe lightbox="no" gallery_id="" lightbox_image="" style_type="none" hover_type="none" bordercolor="" bordersize="0px" borderradius="0" stylecolor="" align="none" link="" linktarget="_self" animation_type="0" animation_direction="down" animation_speed="0.1" animation_offset="" hide_on_mobile="no" class="" id=""] [/imageframe][separator style_type="none" top_margin="" bottom_margin="" sep_color="" border_size="" icon="" icon_circle="" icon_circle_color="" width="" alignment="" class="" id=""][separator style_type="none" top_margin="" bottom_margin="" sep_color="" border_size="" icon="" icon_circle="" icon_circle_color="" width="" alignment="" class="" id=""][fusion_text]

“Escolher músicas favoritas é como escolher filhos favoritos. É difícil.”

“O que faz uma boa canção é a capacidade de ligação. Que pode vir tanto de uma pessoa provocar uma espécie de sentimento, ou pode ser porque gera vontade de dançar.”

“As canções começaram comigo e com o ukulele e houve uma preocupação de não esconder isso atrás de música que não me pertence, mas incluir-me muito na parte dos arranjos e fazer com que isso sobressaia.”

Catarina Munhá, música e médica[/fusion_text][separator style_type="none" top_margin="" bottom_margin="" sep_color="" border_size="" icon="" icon_circle="" icon_circle_color="" width="" alignment="" class="" id=""][fusion_text]

Convidados desta conversa:

Ben Monteiro, músico e produtor dos D’Alva

Kátia Guerreiro, fadista

Joana Alegre, cantora e compositora

Catarina Munhá, música e médica

Locutor - Pedro Saavedra

Captação de Som - Jorge Cabanelas

Sonoplastia - Rui Miguel/Dizplay

Fotografia - Andreia Mayer

Nono Capítulo do Modernista Tradicionalista

Texto de Ricardo Neves-Neves

Interpretação de Adriana Moniz

Captação de som e sonoplastia - Telmo Gomes

Co-produção - ZOV e Gerador

[/fusion_text]

Publicidade

Se este artigo te interessou vale a pena espreitares estes também

1 Janeiro 2018

Como visitar um museu?

22 Dezembro 2017

Modernista Tradicionalista – Capítulo 10

9 Dezembro 2017

Como fazer um grupo de teatro?

10 Novembro 2017

Modernista Tradicionalista – Capítulo 9

31 Outubro 2017

O que é um prato típico?

25 Outubro 2017

Modernista Tradicionalista – Capítulo 8

26 Setembro 2017

Modernista Tradicionalista – Capítulo 7

31 Julho 2017

O que faz rir?

24 Julho 2017

Modernista Tradicionalista – Capítulo 6

12 Julho 2017

Modernista Tradicionalista – Capítulo 5

Academia: cursos originais com especialistas de referência

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Iniciação ao vídeo – filma, corta e edita [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Comunicação Cultural [online e presencial]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Planeamento na Comunicação Digital: da estratégia à execução [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Introdução à Produção Musical para Audiovisuais [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

O Parlamento Europeu: funções, composição e desafios [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Planeamento na Produção de Eventos Culturais [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Pensamento Crítico [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Narrativas animadas – iniciação à animação de personagens [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Práticas de Escrita [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Viver, trabalhar e investir no interior [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Iniciação à Língua Gestual Portuguesa [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Fundos Europeus para as Artes e Cultura I – da Ideia ao Projeto

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Soluções Criativas para Gestão de Organizações e Projetos [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Jornalismo e Crítica Musical [online ou presencial]

Duração: 15h

Formato: Online

Investigações: conhece as nossas principais reportagens, feitas de jornalismo lento

5 JUNHO 2024

Parlamento Europeu: extrema-direita cresce e os moderados estão a deixar-se contagiar

A extrema-direita está a crescer na Europa, e a sua influência já se faz sentir nas instituições democráticas. As previsões são unânimes: a representação destes partidos no Parlamento Europeu deve aumentar após as eleições de junho. Apesar de este não ser o órgão com maior peso na execução das políticas comunitárias, a alteração de forças poderá ter implicações na agenda, nomeadamente pela influência que a extrema-direita já exerce sobre a direita moderada.

22 ABRIL 2024

A Madrinha: a correspondente que “marchou” na retaguarda da guerra

Ao longo de 15 anos, a troca de cartas integrava uma estratégia muito clara: legitimar a guerra. Mais conhecidas por madrinhas, alimentaram um programa oficioso, que partiu de um conceito apropriado pelo Estado Novo: mulheres a integrar o esforço nacional ao se corresponderem com militares na frente de combate.

A tua lista de compras0
O teu carrinho está vazio.
0