SAL é o nome da nova banda “que veio temperar o actual panorama da música nacional” e que reúne elementos dos extintos Diabo na Cruz. Sérgio Pires (voz e braguesa), João Pinheiro (bateria), Daniel Mestre (guitarras) e João Gil (baixo) criaram, durante mais de dez anos, uma “química intensa”, que agora se junta aos teclados de Vicente Santos para revelar a “receita perfeita de Rock Popular moderno”.

O single de estreia, “Passo Forte”, com letra de Lília Esteves e videoclipe realizado por Richard F. Coelho, foi “a primeira canção que concluímos e reflete muito bem a nossa identidade musical, a nossa própria experiência enquanto banda porque fala, sobretudo, de soltar amarras e de libertação”, diz fonte da banda.

O primeiro álbum “foi preparado durante o último ano e meio e revela um som poderoso que transporta o ADN dos seus elementos: uma banda rock com uma sonoridade requintada que mistura as raízes da música tradicional e popular com um lado mais electrónico e actual”, segundo nota de imprensa enviada ao Gerador

O trabalho só será lançado no último trimestre deste ano, mas a banda irá revelá-lo em três concertos agendados para para presente mês de junho: dia 4 atuam no Festival Fusos/ Festival de Fusões Artísticas, em Alte/ Loulé, dia 17 na Casa do Capitão em Lisboa, e dia 19 de junho rumam ao Teatro Sá da Bandeira, em Santarém.

Local: Loulé, Lisboa e Santarém;

Horário: 4, 17 e 19 de junho (respetivamente);

Preço: Entrada livre em Loulé; 10 euros em Lisboa; entrada livre mediante reserva prévia em Santarém


Fotografia cedida pelos SAL