fbpx
Apoia o Gerador na construção de uma sociedade mais criativa, crítica e participativa. Descobre aqui como.

Sampaio da Nóvoa: “Marcelo degradou seriamente a instituição Presidência da República”

O Lugar Comum é feito de pessoas únicas que nos falam do que importa a todos. Esta semana Tiago Sigorelho entrevista António Sampaio da Nóvoa, Conselheiro de Estado.

Texto de Tiago Sigorelho

Apoia o Gerador na construção de uma sociedade mais criativa, crítica e participativa. Descobre aqui como.

Em entrevista para o programa Lugar Comum, António Sampaio da Nóvoa não fechou a porta a uma nova candidatura a Presidente da República em 2026. Apesar de referir que não lhe “passa pela cabeça hoje” candidatar-se, não deixa de identificar quais serão as prioridades da próxima Presidência da República, demarcando-se de Marcelo Rebelo de Sousa, que considera alguém para o qual “tudo é presente, deixou de se pensar no futuro, deixou de se pensar o longo prazo, tudo é democracia instantânea”.

António Sampaio da Nóvoa foi, aliás, muito crítico em relação ao atual Presidente da República, acusando-o de ter “prestado um serviço muito mau à figura da Presidência da República" e de ter “degradado seriamente esta instituição, já ninguém acredita, já ninguém tem confiança”. Menciona o que aconteceu no dia 7 de novembro como “um exemplo do que não é uma democracia”. “O que aconteceu naquela manhã foi um disparate, é preciso tempo, o Presidente da República não pode aceitar a demissão do Primeiro-Ministro na hora”.

Afirma, ainda, que não gostaria de “ver mais chefes de partidos na Presidência da República”, nem de ver mais Presidentes da República eleitos pela televisão, como Marcelo Rebelo de Sousa ou como Marques Mendes, a quem apelida de “filho de Marcelo”.

Episódio também disponível no Spotify.

Biografia António Sampaio da Nóvoa 

É doutor em Ciências da Educação pela Universidade de Genève, Suíça (1986) e doutor em História Moderna e Contemporânea pela Universidade de Paris IV-Sorbonne (2006). A sua vida como docente universitário inicia-se na Universidade de Genève, como assistente, em 1982. A partir de 1986, ingressa na Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Lisboa, tendo-se tornado professor catedrático em 1996. É professor convidado de várias universidades internacionais, nomeadamente Wisconsin (1993/1994), Paris V (1995), Oxford (2001), Columbia – New York (2002), Brasília (2014) e Federal do Rio de Janeiro (2017).

Entre 1996 e 1999, é consultor para os assuntos da educação da Casa Civil do Presidente da República Jorge Sampaio. Entre 2000 e 2003, é Presidente da International Standing Conference for the History of Education (ISCHE). Em 2012, preside às comemorações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas.

Entre 2006 e 2013, é Reitor da Universidade de Lisboa, conduzindo o processo de fusão da Universidade de Lisboa e da Universidade Técnica de Lisboa.

Em 2014, esteve no Brasil numa missão internacional da UNESCO junto do Governo Brasileiro. É Doutor Honoris Causa pela Universidade do Algarve (2015), Universidade de Brasília (2015), Universidade Lusófona (2016), Universidade Federal do Rio de Janeiro (2017) e Universidade Federal de Santa Maria (2019).

Em 2016, é candidato independente às eleições presidenciais, tendo obtido 23% de votos. A partir de abril de 2018 e até novembro de 2021, foi o Representante Permanente de Portugal junto da UNESCO.

Se este artigo te interessou vale a pena espreitares estes também

23 Maio 2024

Tiago Fortuna (Access Lab): “Há muito entusiasmo, mas depois não se concretiza”

20 Maio 2024

Mescla com Allis

16 Maio 2024

Alex Cortez: “As atividades culturais têm de dar lucro, esse lucro nem sempre é medido por dinheiro”

13 Maio 2024

Mescla com E.se

6 Maio 2024

Mescla com Renato Chantre

3 Maio 2024

Beber um copo com Alex D’Alva Teixeira e a sua imunidade a ressacas

29 Abril 2024

Mescla com SFISTIKATED

25 Abril 2024

Flávio Almada: “Se depender da classe que está lá em cima, nós vamos morrer de fome”

22 Abril 2024

Mescla com Carlos Cavallini

18 Abril 2024

Joana Gusmão: “Gostava que a produção cultural fosse tão considerada como a cinematografia ou a realização”

Academia: cursos originais com especialistas de referência

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Jornalismo e Crítica Musical [online ou presencial]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Planeamento na Comunicação Digital: da estratégia à execução [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Planeamento na Produção de Eventos Culturais [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

O Parlamento Europeu: funções, composição e desafios [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Soluções Criativas para Gestão de Organizações e Projetos [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Fundos Europeus para as Artes e Cultura I – da Ideia ao Projeto

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Introdução à Produção Musical para Audiovisuais [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Comunicação Cultural [online e presencial]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Viver, trabalhar e investir no interior [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Iniciação à Língua Gestual Portuguesa [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Práticas de Escrita [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Narrativas animadas – iniciação à animação de personagens [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Pensamento Crítico [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Iniciação ao vídeo – filma, corta e edita [online]

Duração: 15h

Formato: Online

Investigações: conhece as nossas principais reportagens, feitas de jornalismo lento

22 ABRIL 2024

A Madrinha: a correspondente que “marchou” na retaguarda da guerra

Ao longo de 15 anos, a troca de cartas integrava uma estratégia muito clara: legitimar a guerra. Mais conhecidas por madrinhas, alimentaram um programa oficioso, que partiu de um conceito apropriado pelo Estado Novo: mulheres a integrar o esforço nacional ao se corresponderem com militares na frente de combate.

1 ABRIL 2024

Abuso de poder no ensino superior em Portugal

As práticas de assédio moral e sexual são uma realidade conhecida dos estudantes, investigadores, docentes e quadros técnicos do ensino superior. Nos próximos meses lançamos a investigação Abuso de Poder no Ensino Superior, um trabalho jornalístico onde procuramos compreender as múltiplas dimensões de um problema estrutural.

A tua lista de compras0
O teu carrinho está vazio.
0