No dia 11 de abril, o Gerador noticiava o arranque do projeto a Sebenta da Quarentena, apresentando-o como o caderno que permite rir, declamar poemas, colorir, escrever, com conteúdos capazes de ocupar o tempo e alimentar a alma dos que enfrentam uma enorme solidão.

Além disto, a Sebenta da Quarentena tem um foco específico: apesar de estar disponível online para qualquer pessoa que queira aceder, o objetivo é que possa ser distribuída por idosos, o principal grupo de risco afetado pela COVID-19. E o Gerador foi falar com a Lara Seixo Rodrigues, fundadora da Mistaker Maker, Plataforma de Intervenção Artística baseada em Lisboa, também responsável pelo lançamento da Sebenta da Quarentena.

“Apesar de forte preocupação e atenção aos desenvolvimentos que ocorrem diariamente nas áreas, e especificamente na da cultura onde me insiro, desde o primeiro dia, por sentido interesse, vocação, empatia ou simplesmente um olhar atento de anos no terreno com o projeto LATA 65, o cuidado ao idoso é o tema que me ocupou maior tempo de inquietação e reflexão. Porque invoco que é necessário e urgente (hoje e sempre) aumentar a consciência colectiva da nossa sociedade relativamente à importância e à problemática dos idosos, seja porque eles são essenciais ao crescimento de qualquer ser humano, seja porque são parte de nós, porque são parte da nossa história (pessoal e colectiva)”, contextualiza Lara.

Nesta inquietação de ajudar os idosos a passar pelo forçado isolamento e pela forçada solidão, a Mistaker Maker teve a “urgência de informar e comunicar de outra forma, de esclarecer com bondade e clareza, com modéstia e simplicidade, do por que é tão importante o seu contributo para o fim desta pandemia”. E a resposta nasceu na forma da uma Sebenta da Quarentena, “um compêndio de ilustrações para pintar, com histórias, mensagens, ‘inícios de conversa’, quebra-cabeças, palavras ilustradas, ‘novas formas de comunicação’ entre idosos e o mundo, entre avós e netos, que podem ser enviados/trocados pelas compras ou entregas; capazes de lhes ocupar o tempo e (reiteramos) alimentar a alma”.

A Sebenta foi construída através de contributos voluntários, que vieram dos autores e das autoras envolvidos (tais como ±MaisMenos±, Aheneah, AkaCorleone, André Letria, José Lourenço, Mariana a miserável, Nevesman ou Pantónio), do designer gráfico e das empresas que imprimiram exemplares da Sebenta para distribuição gratuita. Neste esforço conjunto, a Sebenta da Quarentena tornou-se num “instrumento de trabalho, que permitiu e que permite às equipas de proximidade das juntas de freguesia e/ou entidades privadas e/ou públicas de todo o país levar até aos seus idosos algo mais do que o estritamente necessário”.

Seja pela disponibilização da Sebenta através do site, acessível a qualquer família, seja pelas parcerias estabelecidas com as diversas entidades, o projeto cresceu e impactou. “Creio que a adesão não poderia ter sido melhor. Rapidamente começámos a receber pedidos por parte de instituições/entidades (públicas e privadas) e ofertas de mais sebentas impressas. O website recebeu no primeiro dia milhares de visitas”. Os números comprovam-no: 6.000 unidades impressas e distribuídas pela Mistake Maker, 15.000 unidades impressas e distribuídas por outras entidades, dispersão geográfica nacional e internacional (Lisboa, Vila Nova da Barquinha, Caldas da Rainha, Jarmelo, na Guarda, Luxemburgo, Covilhã, Espinho, São João da Madeira, Macedo de Cavaleiros, Bragança, Valongo, S. João da Madeira, Santa Maria da Feira, Gondomar, Campo Maior), 65.000 visualizações no site com registos de origem de 68 países e disponibilização da Sebenta em três idiomas (inglês, espanhol e francês) para além do português.

A adesão acelerada faz da Sebenta da Quarentena um projeto além quarentena. “O seu tempo de vida irá ser longo, uma vez que as medidas para os próximos meses preveem o confinamento dos mais idosos. O feedback que nos tem chegado também nos revela o papel excelente e fundamental que a Sebenta está a ter em instituições de acolhimento de idosos, no trabalho diário e continuado”.

Se estás em família e perto dos teus avós, a Sebenta da Quarentena poderá ser a vossa companhia. E, desta forma, o Gerador convida-te a conheceres o projeto.

Texto de Rita Dias
Fotografia da cortesia da Sebenta da Quarentena

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.
sebenta-da-quarentena-gerador