O festival Dias da Música Eletroacústica (DME) vai regressar aos concertos presenciais com uma edição, entre 13 e 14 de agosto, em Seia, depois de quatro meses de programação digital face à pandemia.

Os concertos terão lugar na Casa Municipal da Cultura de Seia pelas 18h30 em ambos os dias, contando com uma programação que junta “artistas locais, nacionais e internacionais”, adianta a organização em comunicado.

No primeiro dia, o DME arranca com Túlio Augusto e Mya Suto, “numa improvisação que combina elementos da cultura popular brasileira e da música eletroacústica”.

Esse mesmo dia termina com concerto do Tomás Marques Quarteto, “grupo vencedor do Prémio Jovens Músicos 2019 [promovido pela Antena 2], na categoria de Jazz Combo”, salientou a organização.

No dia 14 de agosto, sobem ao palco os alunos do curso de introdução à música eletroacústica, seguindo-se uma atuação do Ensemble DME, em que serão apresentadas obras dos artistas residentes em Seia, Demian Rudel Rey e Clovis McEvoy.

O ciclo fecha com o concerto do trio que está em residência artística, João Hasselberg (contrabaixo), Tomás Longo (vibrafone) e Marianne Harlé (vídeo).

Na nota de imprensa, a organização salienta que esta programação “marca o recomeço da atividade presencial do festival DME, após quatro meses totalmente digitais”.

“Naturalmente, será impossível conceber as atividades da mesma forma que antes mas, com todos os cuidados necessários, iremos pouco a pouco regressar, com uma atenção à difusão digital muito maior do que até agora”, explicou.

A entrada é gratuita, mas sujeita a reserva, sendo que os bilhetes podem ser levantados no próprio dia, na bilheteira da Casa Municipal da Cultura de Seia.

Texto de Lusa e Ricardo Ramos Gonçalves
Fotografia de Dominik Scythe via Unsplash

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.