Entre os dias 24 e 29 de julho, o Teatro do Bairro Alto recebe, pela primeira vez, "Solo" de Teresa Coutinho. Contando com texto, encenação e interpretação da artista, a sua nova criação difunde uma pesquisa e aspetos autobiográficos, um exercício que procura questionar de que forma o cinema e o teatro contribuíram para moldar a construção de uma ideia de mulher.

Trazendo à tona questões como "Se fores uma miúda sentada no escuro da sala de cinema ou da sala de um teatro, anos a fio, que ideia de feminino te devolveu esse espelho? Que imaginário se construiu até à tua idade adulta? O que te foi, afinal, sendo dito, todo este tempo?", Teresa tenta desconcertar e explorar de que forma o teatro e o cinema contribuíram para a construção de "uma ideia de Mulher que a moldou ou que quis repudiar", lê-se em comunicado.

 Teresa Coutinho é atriz, criadora e dramaturga. Criou e escreveu O Eterno Debate e Ways of Looking (a partir de John Berger, com Guilherme Gomes), entre outros. Coordena também o ciclo Clube dos Poetas Vivos no TNDMII.

Dedicando-se, particularmente, à desmistificação do conceito que se associa à sua imagem, de mulher, como de uma ideia mais generalista de beleza, de força e de vulnerabilidade, a artista apresenta o "reboque destas influências", a que se viu obrigada a reservar ou expor.

Local: Teatro do Bairro Alto (TBA);

Horário: de sábado a quinta pelas 19horas e domingo pelas 17horas;

Preço: entre 5 a 12euros.

Fotografia de Filipe Ferreira