O South Music já revelou os 33 projetos selecionados para programa o de formação, workshops e conferências, que nos dias 15 e 16 de junho vão fazer de Faro a Capital da Música.

O painel de júri constituído por Inês Meneses, Rui Miguel Abreu, Fernando Alvim, Gil Silva, Sandra Faria, Renato Júnior, Paulo Silva e Nuno Saraiva revelou hoje os 33 projetos selecionados para a primeira edição do South Music, que terá lugar nos dias 15 e 16 de junho em Faro - Ben & The Pirates , The Black Teddys, Carol, Cicatriz, Danz, The Elephant Woman, Galopim, Goldcobra, Grafonola Voadora & Napoleão Mira, Leon Baldesberger's Meersalz, Little´s 4tet, M.E.D.O., The Mirandas, Moda Vestra, Nanook, O Vagabundo, No Time To Waste Noite, Orfélia, Paulinho Lêmos, Plasticine, Projecto GURI, RealPunch, Reflect, Riding a Meteor, Stone Breaker, Subtil, Tabea, Teresa Aleixo, Time for T, Villain Outbreak e Yuca.

Até ao evento, todas estas bandas e artistas irão frequentar ações de formação preparatórias, em áreas fulcrais para o desenvolvimento do seu percurso artístico, que irão culminar em apresentações ao vivo, em formato showcase.

Desde a abertura das inscrições, o festival recebeu mais de 150 candidaturas, com grande abrangência de géneros musicais - desde o rock, jazz, pop, MPB, hip hop, indie e spoken word -, todos naturais ou com residência no Algarve e com composições originais. Além dos músicos, entre as centenas de perfis criados, encontram-se vários profissionais oriundos de 13 concelhos do Algarve nas categorias de Autor/a, Produtor/a, Técnico, Agente, Promotor/a e Booker.

O South Music escolheu ainda um painel de embaixadores, que também serão os hosts do evento. Júlio Ferreira e Ricardo Coelho, Dino D'Santiago, Júlio Resende, Viviane, Nuno Guerreiro e Zé Eduardo, músicos com ligações ao Algarve que conseguiram afirmar-se no território nacional e internacional, irão partilhar a dificuldade em ser músico e viver da música fora dos grandes centros urbanos. No Painel das Editoras, vão traçar-se cenários sobre o futuro da edição numa altura em que os paradigmas se alteram devido ao efeito conjunto do advento do digital e a pandemia enquanto acelerador, reunindo um painel de convidados que coloca em diálogo editoras multinacionais e independentes, como Paula Homem, Francisco Vasconcelos, José Gomes e Nuno Saraiva.

No Painel Direitos de Autor e Conexos, moderado por Tozé Brito, representantes da SPA, GDA, Audiogest e o músico Nuno Rodrigues dos Glockenwise, os participantes poderão discutir a substituição das formas tradicionais de receitas por novas plataformas e conteúdos. No Painel O Papel da Imprensa Musical, que conta com Inês Meneses, Vitor Belanciano e Júlio Ferreira vão partilhar-se reflexões sobre a forma como a imprensa musical pode ganhar maior expressão em Portugal e contribuir para a consolidação de músicos e bandas, nomeadamente projetos independentes e distantes dos grandes centros de decisão. O Painel Programar em Português encerra dois dias de conferências com uma conversa entre Luís Ferreira, Vasco Sacramento, João Carvalho, Sandra Faria, Ricardo Bramão e Michal Zolman em que se pretende avaliar a criação de música em Portugal versus o mercado que existe para a acolher. Após o evento, o South Music continuará como uma plataforma alojando vídeos, áudios, informações e contactos das bandas participantes, funcionando como um agregador de conteúdos e veículo de comunicação com a indústria musical.

Para além do South Music, Faro2027 irá apresentar a iniciativa SOUTH MUSIC Geração Cápsula, que procura chegar a jovens criativos dos 14 aos 18 anos, através de um processo de curadoria que irá permitir lançar uma nova geração de músicos de Faro e do Algarve.

Para participarem nestes dois dias de networking, showcases e conferências devem inscrever-se previamente, aqui.

Texto por Patrícia Nogueira
Fotografia via Pexels

Se queres ler mais entrevistas sobre a cultura em Portugal, clica aqui.