Entre os dias 2 e 6 de fevereiro a artista Tânia de Carvalho ocupa o Teatro do Bairro Alto (TBA), em Lisboa, com dois dos seus mundos. São duas criações separadas por dez anos, o espetáculo de piano Madmud (2007) e o solo Captado pela intuição (2017).

No universo artístico de Tânia Carvalho cabe muita coisa. Cabe a coreografia e a música, cabe a dança e o desenho. Não será, por isso, surpreendente que se apresente em dose dupla no inicio do mês de fevereiro no TBA. 

No comunicado de imprensa, descrevem-na como “pensativa e cada vez mais multidisciplinar”. Numa entrevista dada ao Gerador a propósito da exposição de desenhos Toledo, apresentada no Convento de São Francisco, em Coimbra, disse que “somos muito mais do que aquilo que fazemos”. 

Madmud, que significa lama louca, vem, segundo a própria, “de uma sensação que tenho quando canto, que me faz pensar em elementos que vêm de longe, algo que vem das profundezas da terra e que passa através do meu corpo.”   Este concerto de piano e voz será apresentado no dia 2 de fevereiro de 2022 às 19h30. 

Captado pela intuição é um solo que parte do questionamento sobre o que é, afinal, fazer uma peça para si. De acordo com o comunicado de imprensa, este solo situa-se “entre o abstracionismo lírico e o figurativismo, um dualismo entre o seu lado expressionista e o movimento coreográfico rigorosamente desenhado.” Estará no TBA entre 4 e 6 de fevereiro às 19h30, excepto no domingo cuja sessão é às 17h00. 

Sabe mais, aqui

Fotografia de Laurent Paillier via TBA