O Teatro Diogo Bernardes, em Ponte de Lima, irá reabrir as suas portas em setembro, coincidido com o aniversário dos 124 anos da sala de espectáculos e com programação definida para os últimos quatro meses de 2020.

Na conferência de imprensa da programação, o presidente da Câmara Municipal de Ponte de Lima, Victor Mendes, destacou que a mesma reflecte a preocupação do executivo com a “democratização do acesso cultura, de retorno à normalidade, de incremento da actividade cultural, nomeadamente através de apoios a associações locais, e dos serviços educativos”.

A programação comemorativa dos 124 anos do Teatro Diogo Bernardes terá início a 18 de setembro com o concerto de Márcia, no dia 19 será a vez da actuação de João Pedro Pais e, dia 20, o primeiro espectáculo para a infância, juventude e famílias, público pela companhia Opera ISTO, que apresentará duas sessões do espectáculo ‘A Rolha do Rei D’Aonde?’.

O Teatro Diogo Bernardes, de estilo italiano, foi construído em 1893, e inaugurado em 1896, tendo sido remodelado e renovado no ano de 1999. Tem capacidade para acolher 310 espectadores.

“Nos próximos meses, vamos investir cerca de 89 mil euros, em 42 espectáculos, o que representa um valor de 2.119 euros por espectáculo. Independentemente destes valores, os preços que praticamos são muito baixos para permitir que, independentemente, da condição social e económica todos tenham oportunidade de vir ao Teatro Diogo Bernardes", referiu o autarca, que apelou à “responsabilidade” do público na prevenção do novo coronavírus, acrescentando que “conciliar a economia com a saúde pública depende da responsabilidade dos cidadãos”.

O autarca destacou ainda, em outubro, projetos musicais variados como Noiserv, Brigada Victor Jara, um concerto da Associação Porta Jazz com o projeto de João Martins "100 ms", o fado de Coimbra pela voz de Dario Ribeiro, Samuel Úria e, pela primeira vez, a integração do Teatro Diogo Bernardes no festival nacional Misty Fest, com um concerto inédito em estreia, com dois músicos de referência da nova geração do jazz nacional, João Barradas e Ricardo Toscano.

Em dezembro, apontou "o regresso da dança contemporânea com Sinais de Pausa, uma coprodução da companhia Paulo Ribeiro e do teatro Diogo Bernardes".

"Amado Monstro, com interpretação de Marcantonio Del Carlo e João Didelet, será a nossa proposta na área do teatro e, na área da música, o concerto de Tiago Bettencourt e o concerto de Natal, na Igreja Matriz de Ponte de Lima, resultado do IV Encontro de Música Medieval de Ponte de Lima Caminho Português de Santiago, que integra a competente residência artística internacional", especificou.

Texto de Lusa e Ricardo Ramos Gonçalves
Fotografia via Unsplash

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.