A Câmara Municipal de Oeiras lançou um prémio de poesia com o maior valor pecuniário de sempre para a Poesia em Língua Portuguesa, destinado a residentes nos países da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP).

O prémio está divido em duas categorias – o Prémio Consagração que vale ao vencedor 20.000 euros e que se destina “a autores de língua portuguesa com obras literárias que tenham sido publicadas em Portugal ou nos restantes países da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) no último ano, ou que estejam em vias de publicação (pré-publicação ou impressão) por parte de uma editora com reconhecida representatividade no panorama nacional do país de origem do autor”, pode ler-se em comunicado. E ainda o Prémio Revelação, que vale 5.000 euros e a edição da obra premiada. Este último destina-se a “obras literárias que sejam inéditas e cuja qualidade literária será avaliada pelo júri do concurso”.

O júri do Prémio de Consagração é constituído pelos escritores Mia Couto, António Carlos Secchin e Fernando Pinto Amaral,; enquanto o júri do Prémio de Revelação é constituído por Kalaf Epalanga, Ronaldo Cagiano e Jorge Reis Sá. Ambos os júris contam com a presença de João Mendes Rosa (em representação da Câmara Municipal de Oeiras) e Ana Patrícia Infante (em representação do patrono).

O concurso para a entrega das obras decorre até ao dia 23 de outubro de 2020, com a particularidade de só serem admitidas a concurso obras apresentadas sob anonimato. Os trabalhos devem ser enviados em formato digital para a Divisão de Cultura do Município de Oeiras, sob o Assunto: “Candidatura ao Concurso do Prémio Revelação de Poesia de Oeiras”.

A revelação dos premiados será feita em dezembro deste ano. Contudo, a cerimónia de atribuição está reservada para o dia 21 de março de 2021 – Dia Mundial da Poesia.

Texto de Bárbara Dixe Ramos
Cartaz do concurso

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.