O novo espetáculo do coreógrafo aborda o tema da vida em família, através de três bailarinos imaginados por Gonçalo M. Tavares. A criação sobe ao palco do Teatro Viriato, em Viseu, nos dias 18 e 19 de setembro. 

Ao longo de 90 minutos são abordadas questões como as relações familiares, sentimentos de pertença e de orfandade, conflitos com o passado familiar, estratégias de sobrevivência. 

De acordo com Victor Hugo Pontes, “o texto do Gonçalo M. Tavares fala sobre a vida em família: os conflitos, as tensões, a proximidade sanguínea entre irmãos, que dá força, mas também traz fantasmas e gera conflitos. São esses conflitos que vão desencadeando a ação.”

Em palco, a peça desenrola-se em dois níveis de leitura. Um assente na coreografia, “que potencia os conflitos e as ações” das três personagens, interpretados pelos bailarinos Dinis Duarte, Paulo Mota e Valter Fernandes. E um outro relacionado com o texto, “que é projetado no palco e que foi escrito [por Gonçalo M. Tavares] propositadamente para cada uma das personagens, sendo que estas nunca o verbalizam em cena”, acrescenta o coreógrafo. 

Os bilhetes para a apresentação do espetáculo em Viseu, nos dias 18 e 19 de setembro, já podem ser adquiridos na bilheteira online.

Este espetáculo é uma coprodução Nome Próprio, Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão, Cineteatro Louletano, São Luiz Teatro Municipal, Teatro Municipal do Porto e Teatro Viriato.  

Texto de Flávia Brito
Fotografia via Unsplash

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.
Victor Hugo Pontes estreia “Os Três Irmãos” no Teatro Viriato