De 8 a 18 de julho, três jovens companhias de Lisboa apresentam, "A Nossa Cidade", sobre a experiência humana do tempo, o quotidiano, o amor e a morte.

"A Nossa Cidade" é um clássico da dramaturgia experimental. Um diretor de cena apresenta-nos com precisão, compaixão e ironia as ruas e pessoas de Grover's Corners, cidadezinha fictícia de Nova Inglaterra no início do século XX. Mas este retrato tão específico pode ser uma maneira de falar de coisas talvez universais: a experiência humana do tempo; o quotidiano, o amor e a morte. Em março de 1964, a estreia de uma produção de Our Town em Anchorage, no Alasca, foi cancelada por causa de um fortíssimo terramoto; em março de 2020 e de novo em janeiro de 2021, foi uma pandemia que adiou "A Nossa Cidade".

Auéééu, Os Possessos e Teatro da Cidade juntam-se pela primeira vez para trazer a cena esta peça, num gesto que não pode deixar de ser de resistência, desenham uma cidade a várias mãos para nos vermos nela. A força deste encontro nasce de uma vontade de questionamento, diálogo e observação conjunta sobre a forma como cada companhia e cada um de nós está – no teatro e na cidade.

A peça pode ser vista de 8 a 18 de julho, exceto à segunda feira e ainda no Clube Espectador Digital no dia 12 de julho pelas 18h00, no Zoom do TBA, com José Maria Vieira Mendes. E porque a arte é para todos o TBA terá uma sessão acessível no dia 18 de julho pelas 17h com audiodescrição e interpretação em Língua Gestual Portuguesa.

Local: Teatro do Bairro Alto
Horário: 8 a 18 de julho (exceto à segunda-feira) terça a sábado pelas 19h e domingo pelas 17h
Preço: 12€ e 5€ para menos de 25 anos
Fotografia de Bruno Simão