fbpx
Quarta-feira, 1 Maio 2019

Lígia Soares

Lígia Soares (Lisboa, 1978) é uma coreógrafa e dramaturga portuguesa que tem vindo a questionar o espaço cénico como um espaço distanciado.Começou o seu trabalho profissional com a Companhia de Teatro Senssuround em 1997. Foi artista residente da Tanzfabrik- Berlin entre 2004 e 2006, foi bolseira da DanceWeb em 2018 (Viena). O seu trabalho tem sido apresentado nacional e internacionalmente estando presente em vários programas de teatro e dança contemporânea. Promoveu vários programas nacionais e internacionais de programação com outros artistas ou em projetos coletivos como o Demimonde. “Celebração”, Culturgest 2012, “Demimonde na Galeria da Boavista”, 2013, “Meio-Mundo Estrada Fora”, Lisboa/Porto/Madrid/Paris, 2014, “Face a Face- Programa Luso-Brasileiro de Artes Performativas”, 2015, Brasília, 2016, Rio de Janeiro. Na temporada 2015/2016 foi membro do laboratório de escrita para teatro do TNDM II em Lisboa para o qual escreveu a peça “Civilização”.

Na sequência de trabalhos como “Romance”, “Teatro Dentro de Nós” ou “Turning Backs” prossegue uma pesquisa em como criar dispositivos cénicos inclusivos da presença do espetador como elemento constituinte da dramaturgia do espetáculo, incorporando ou substituindo o próprio papel de performer. O seu trabalho “O Ato da Primavera” estreou em Outubro de 2017 no TNDM II e inclui uma curadoria em que convida sete dramaturgos portugueses a escreverem peças para um dispositivo constituído por telepontos. As suas peças “Romance” (2015), “Cinderela” (2018) e “Civilização” (2019) estão editadas pela Douda Correria. “Cinderela” ganhou o prémio Eurodram 2018.

Para saberes mais sobre ela, espreita aqui:

https://doudacorreriablog.wordpress.com/tag/ligia-soares/

http://www.maquinaagradavel.com

“Romance” (2015), fotografia de Cláudia Morais

Fotografia de capa de Nádia Teixeira

Se queres conhecer mais autores portugueses, clica aqui.

MAIS ARTIGOS DE

Entrevistas 14.Abr.2021

Vera Fernandes: “A Buzina é sustentável por consequência (…) atualmente, é uma opção”

A partir da vila de Joane, no concelho de Vila Nova de Famalicão, Vera Fernandes criou a Buzina, uma marca de roupa que é reflexo do seu estilo pessoal e…

Notícias 13.Abr.2021

Uso de máscaras fez aumentar problemas vocais dos artistas

O uso de máscaras faciais, imposto no âmbito das medidas de prevenção contra a Covid-19, fez aumentar o número de patologias da voz, desde março de 2020, sobretudo nos aparelhos…

Notícias 13.Abr.2021

In Tranz YT é o nome da nova companhia de dança de Famalicão

"Apoiar bailarinos recém-formados, oferecendo-lhes uma plataforma onde se possam concentrar em desenvolver o seu talento, num ambiente profissionalizante de uma companhia de dança, idêntico ao que irão encontrar no seu…

Agenda 13.Abr.2021

"Monólogos da Vagina" regressa ao Teatro Armando Cortez

É no dia 19 de abril que a Yellow Star Company leva "Monólogos da Vagina" até ao palco do Teatro Armando Cortez. O teatro acontece pelas 21horas e conta com…

Notícias 13.Abr.2021

Luisa Cunha, das linguagens multidisciplinares ao Grande Prémio Fundação EDP Arte 2021

A artista Luisa Cunha foi a vencedora da edição de 2021 do Grande Prémio Fundação EDP Arte. Destacando-se pela originalidade, ousadia experimental, multidisciplinaridade, e pioneirismo no uso de novas linguagens,…

Notícias 13.Abr.2021

"But First, a Rebellion" pelas mãos de Tamara Alves

A artística que abraça a arte urbana inaugura a sua exposição na galeria municipal da Amadora, no dia 15 de abril pelas 18h30. "But First, a Rebellion", é composta por…

{"cart_token":"","hash":"","cart_data":""}
X
X
Copy link
Powered by Social Snap