Hoje vamos descobrir o porquê de sermos apaixonados por doces numa conversa na Central Gerador, pelas 19h30, com dois autores de livros relacionados com a doçaria. Se tentarmos fazer uma retrospetiva dos momentos mais marcantes da nossa vida, certamente encontraremos na tela da nossa memória visual um doce. O doce que os avós traziam para acompanhar o café depois do almoço na aldeia, o doce que tantas vezes comemos e que, hoje, não podemos sequer cheirar, o bolo-rei e as rabanadas que estão sempre à mesa no Natal, os ovos-moles que comemos naquela visita a Aveiro ou o guardanapo que sempre vimos na montra do café a que já conhecemos os cantos.” — assim se inicia a reportagem de capa da Revista Gerador 28, “De quantos doces se faz a nossa cultura? Um olhar sobre a vitrine da doçaria portuguesa”.

Facto é que os doces têm uma importância preponderante no imaginário da cultura portuguesa e há quem já lhes tenha feito uma ode materializada em livro. É o caso de Frederico Duarte que, juntamente com o estúdio Pedrita, mapeou as pastelarias de fabrico próprio e as espécies que delas fazem parte — das mais comuns às mais raras — em “Fabrico Próprio”, uma pesquisa iniciada em 2005 e com primeira edição lançada em 2008 (http://www.fabricoproprio.net).

Também Cristina Castro decidiu levar os doces do seu imaginário, mas também aqueles que ainda não conhecia, para “A Doçaria Portuguesa”, uma coleção de livros que passa pelo Norte, pelo Centro e pelo Sul do país.

Descobre aqui a programação completa para o mês de novembro e segue o Facebook Instagram oficiais da Central Gerador para estares a par de todas as novidades.. Visita-nos de quarta a sábado, entre as 18h e as 23h, e ao domingo, das 15h às 20h e aproveita para espreitar a exposição Lisboa com história do fotógrafo David Cachopo que está disponível na Central Gerador.

Onde fica a Central Gerador?

A entrada faz-se pela Rua Luis Pastor de Macedo, nas traseiras do edifício da Junta de Freguesia do Lumiar, pelo portão verde que estará aberto. A Central Gerador fica no Largo das Conchas, Casa da Cidadania, nº 5, Lumiar (Lisboa).