Este é o vídeo dos “3 minutos às 3” em que podes descobrir um olhar sobre a reportagem de investigação do Gerador que saiu no sábado anterior.

Neste vídeo podes encontrar um resumo da reportagem “Em período de emergência, qual o papel das marcas na cultura?” que se foca na relação que existe entre os privados e a cultura, especialmente nesta altura em que as consequências dos cancelamentos de atividades culturais, devido à covid-19, se fazem sentir.  

Há cerca de um ano, a Ministra da Cultura, Graça Fonseca, defendia, em declarações ao Diário de Notícias, que o setor das artes e do património precisava de mais financiamento, envolvendo “vários parceiros, nomeadamente os privados”. Nos dias que correm, com o impacto da covid-19 no setor cultural, têm surgido iniciativas privadas a título individual ou através da recente plataforma Portugal #EntraEmCena, na tentativa de criar sinergias entre agentes culturais e marcas. Numa relação nem sempre consensual, surgem algumas questões no que toca aos ganhos para ambos os lados e à transparência dos processos de apoio.

Este sábado ouvimos João Campos, designer e autor do livro Marca Positiva, Pedro Pires, CEO da Solid Dogma e anterior presidente do Clube Criativos de Portugal, Miguel Araújo, diretor de Comunicação e Relações Institucional de Super Bock Group, Miguel Januário, artista responsável pelo projeto mais menos, e convocámos vozes que, de forma indireta, contribuíram para o rumo desta reportagem de sábado. 

Podes ler a reportagem completa, aqui.

Jornalistas: Carolina Franco e Ricardo Ramos Gonçalves
Edição de vídeo de Susana Maciel
gerador-cultura-na-pandemia-marcas-na-cultura