Já podes comprar a Revista Gerador 35 na nossa loja online e na Central Gerador, em Lisboa.

Continuamos comprometidos com a prática de jornalismo lento, como contraponto da urgência dos tempos que nos envolvem, nesta edição, com cinco conteúdos de profundidade. A longa reportagem de capa é, desta vez, dedicada ao tema O que define a interioridade?, onde refletimos sobre o que acarreta, afinal, o termo “interior” e quais as narrativas a ele associadas. Resultado de mais uma edição da Bolsa Reportagens Essenciais Gerador, vais poder ler duas reportagens de investigação dedicadas a histórias LGBTQI+ fora dos grandes centros urbanos e ao ecocídio no Alentejo. 

Mas não ficamos por aqui. Na reportagem “Quem menstrua”, refletimos sobre a diversidade de pessoas que menstruam e a desconstrução de estigmas de género e no Perfil, onde partilhamos um olhar sobre quem admiramos, falamos-te de Maria Lamas, ativista pelos direitos humanos, jornalista, escritora. Uma mulher de ação, antifascista e democrata. 

Como sempre, a cada edição, convidamos personalidades que admiramos a criarem obras inéditas e, na nº 35, vais encontrar a obra fotográfica "Portugal século XXI, o interior esquecido e ostracizado", de Alfredo Cunha, autor da icónica fotografia do capitão Salgueiro Maia, a preto e branco, no dia da Revolução dos Cravos. 

Curioso para descobrir mais sobre os destaques desta edição?

Na Capa | O que define a interioridade?

Na reportagem de capa refletimos sobre as diferenças demográficas e socioeconómicas que levaram o país a delimitar os territórios continentais menos povoados, mais envelhecidos e menos dinâmicos economicamente. São chamados territórios do interior, mas abrangem uma multiplicidade de regiões. O objetivo é serem alvo de uma «discriminação positiva», mas até que ponto esta é apenas uma questão administrativa? Procurámos saber o que acarreta o termo «interior» e quais as narrativas a ele associadas.

Reportagem | Quem menstrua?

Nesta reportagem somos desafiados a repensar conceitos que nos foram socialmente transmitidos como verdades científicas, sem o serem, de facto. Apresentamos a diferença entre sexo, identidade de género e expressão de género. Entendemos a menstruação enquanto uma questão biológica e não como definidora de género. Partilhamos histórias sobre menstruação e/ou transição – a de Lucas, Carmo Gê Pereira, Ivvi Romão e Tota Alves. Refletimos ainda sobre temas como o acesso a cuidados de saúde, a gravidez, a existência de produtos de recolha menstrual não feminizados ou a importância de promover uma educação menstrual e sexual em defesa de um mundo inclusivo.

Bolsa Reportagens Essenciais | À descoberta das cores resistentes a um preconceito sombrio

Em 2005, um grupo de ativistas reunia-se em Viseu para gritar em conjunto “STOP HOMOFOBIA”. A motivação daquela que acabou por ser a primeira manifestação LGBTQI+ fora de Lisboa foram ataques homofóbicos que começaram a acontecer recorrentemente nesta zona do país. Há histórias mais ou menos conhecidas por Portugal fora, algumas com fins trágicos, outras de celebração. Quando nos propusemos a fazer um levantamento de testemunhos LGBTQI+ fora dos grandes centros urbanos, estávamos certos de que mais do que mostrar a violência a que as pessoas queer estão sujeitas, ainda hoje, queríamos sublinhar os seus percursos e individualidades. Verificámos que são poucos os percursos e histórias individuais que não estejam marcados por, pelo menos, um episódio de bullying ou silenciamento na infância, na juventude ou na idade adulta, e evidenciá-los tornou-se, também, inevitável.

Bolsa Reportagens Essenciais | A terra paga-me em vida, eu pago à terra em matando

Nesta reportagem, decorrente da Bolsa Reportagens Essenciais Gerador, o jornalista Francisco Colaço Pedro leva-nos a refletir sobre o ecocídio no Alentejo. “Há cem anos que o Alentejo não via um ecocídio assim. O dinheiro público e a água do Alqueva regam o crescer das monoculturas industriais. Há quem proteja a riqueza que resta e há quem semeie futuros entre os prenúncios do deserto” – assim começa uma narrativa que Francisco dividiu em nove breves capítulos que vão sendo acompanhados pelas fotografias tiradas por José Manuel Rodrigues, vencedor do Prémio Pessoa em 1999.

Perfil de Maria Lamas | Uma mulher de ação movida pelo amor à humanidade

Maria da Conceição Vassalo e Silva da Cunha Lamas. Uma mulher que não é reduzível a uma definição única. Ativista pelos direitos das mulheres, jornalista, escritora, por vezes fotógrafa, tradutora, antifascista e democrata. Amiga dos seus amigos, um coração aberto a todas as pessoas. «O Amor exprime para mim a vida, explica a minha existência assim como define a minha personalidade», escreve a própria, em outubro de 1984. Descobre o seu perfil nesta edição.

Torna-te Sócio Gerador aqui e recebe a Revista Gerador em casa ou acede à versão digital diretamente na área reservada do nosso site.

Créditos – ilustração na capa de Camila Nogueira