fbpx
Apoia o Gerador na construção de uma sociedade mais criativa, crítica e participativa. Descobre aqui como.

Diana Andringa: “Os jornalistas neste momento estão nas mãos do poder judicial e da polícia”

De olhos postos nos temas centrais, falamos de jornalismo e democracia, com a jornalista e documentarista Diana Andringa.

Texto de Flavia Brito

Apoia o Gerador na construção de uma sociedade mais criativa, crítica e participativa. Descobre aqui como.

“Os jornalistas estão a colaborar na criação de uma sociedade onde vai deixar de haver liberdade e democracia.” A frase é de Diana Andringa, a última convidada das Entrevistas Centrais. Para a jornalista e documentarista, as atuais práticas jornalísticas estão a permitir à “extrema direita servir-se do seu trabalho para um dia destes impor a censura e a falta de liberdade.”

Há uma “dúvida sistemática” em relação à política, que não existe relativamente ao poder económico, diz também, nesta entrevista, em que abordamos a crise do jornalismo e dos valores democráticos.

"Nós ainda contestamos muito pouco os chefes", considera a jornalista, para quem o fascismo se reproduz ainda numa série de situações, , em que "as pessoas aceitam uma humilhação que nunca podiam aceitar."como as praxes ou o facto de sermos ainda um país de "doutores"

A dúvida e o erro jornalísticos, o que falta ainda falar sobre a Guerra Colonial, sobre os movimentos de libertação colonial, o trabalho que não foi feito com os chamados "retornados" ou os presos políticos durante a ditadura, são outros temas desta conversa.

Diana Andringa nasceu em 1947 no Dundo, em Angola. Em 1958 veio para Portugal. Frequentou a Faculdade de Medicina, mas trocou-a pelo jornalismo. Fez o 1º Curso de Jornalismo do Sindicato dos Jornalistas em 1968, e entrou para a revista Vida Mundial. Foi presa pela PIDE a 27 de janeiro de 1970, por apoio à Luta de Libertação de Angola, e condenada a 20 meses de prisão, cumpridos em Caxias. Foi jornalista na RTP, cronista no Diário de Notícias, na RDP e no Público, foi diretora-adjunta do Diário de Lisboa. Doutorou-se em Sociologia da Comunicação pelo ISCTE em 2013, e é agora documentarista independente, para além de se dedicar também à investigação no Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra.

Se este artigo te interessou vale a pena espreitares estes também

Academia: cursos originais com especialistas de referência

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Jornalismo e Crítica Musical [online ou presencial]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Fundos Europeus para as Artes e Cultura I – da Ideia ao Projeto

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Pensamento Crítico [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Soluções Criativas para Gestão de Organizações e Projetos [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Práticas de Escrita [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

O Parlamento Europeu: funções, composição e desafios [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Introdução à Produção Musical para Audiovisuais [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Planeamento na Comunicação Digital: da estratégia à execução [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Iniciação ao vídeo – filma, corta e edita [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Iniciação à Língua Gestual Portuguesa [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Planeamento na Produção de Eventos Culturais [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Narrativas animadas – iniciação à animação de personagens [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Comunicação Cultural [online e presencial]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Viver, trabalhar e investir no interior [online]

Duração: 15h

Formato: Online

Investigações: conhece as nossas principais reportagens, feitas de jornalismo lento

1 ABRIL 2024

Abuso de poder no ensino superior em Portugal

As práticas de assédio moral e sexual são uma realidade conhecida dos estudantes, investigadores, docentes e quadros técnicos do ensino superior. Nos próximos meses lançamos a investigação Abuso de Poder no Ensino Superior, um trabalho jornalístico onde procuramos compreender as múltiplas dimensões de um problema estrutural.

8 DE ABRIL 2024

A pobreza em Portugal: entre números crescentes e realidades encobertas

Num cenário de inflação galopante, os salários baixos e a crise da habitação deixam a nu o cenário de fragilidade social em que vivem muitas pessoas no país. O número de indivíduos em situação de pobreza tem vindo a aumentar, mas o que nos dizem exatamente esses números sobre a realidade no país? Como se mede a pobreza e de que forma ela contribuiu para outros problemas, como a exclusão social?

A tua lista de compras0
O teu carrinho está vazio.
0