Foram divulgadas as vencedoras do Open Call que atribuiu um lugar de residência artística na cidade da Praia, em Cabo Verde, e outro em Lisboa, na área da dança. Ana Trincão e Adryella Fortes realizam entre 1 e 30 de novembro, na cidade da Praia e em Lisboa, respetivamente, um projeto de criação artística na área da dança. 

O programa de residências artísticas em Lisboa e Praia foi criado ao abrigo do protocolo de cooperação entre a Câmara Municipal de Lisboa (CML) e o Camões, Instituto da Cooperação e da Língua, I.P. (Camões, IP) e destina-se a coreógrafos e bailarinos de nacionalidade portuguesa em inicio de carreira e jovens na mesma condição mas com nacionalidade cabo-verdiana e residentes em Cabo Verde.   

O painel de jurados compôs-se por João Fiadeiro (especialista na área da dança), Anick Bilreiro (Câmara Municipal de Lisboa) e Maria João Pinto Correia (Camões, IP) e considerou as propostas de Ana Trincão e Adryella Fortes as melhores estruturadas e consolidadas, com um foco fortemente direcionado nas cidades em que pretendem atuar. 

Ana Trincão é uma coreógrafa nascida em Lisboa em 1981. Doutoranda em Estudos Culturais na Universidade Católica Portuguesa, em Lisboa e na Universidade de Copenhague, é licenciada pela ESAD das Caldas da Rainha na área de Artes Visuais e mestre em Soda em Dança pelo Centro Interuniversitário de Dança de Berlim. Entre alguns dos projetos de que fez parte destacam-se Sowing Seeds, na Índia, onde trabalhou com a comunidade feminina de Jeptur, e o trabalho que tem realizado com o coletivo de som de Lisboa “SAS Radio Orkestra”. 

Adryella Fortes nasceu em Cabo Verde no ano de 1997 e frequentou a escola de dança tradicional cabo-verdiana “Sorriso da criança”, em São Vicente. Em 2017 integrou o grupo tradicional cabo-verdiana “Fidjus di tera” e em 2018 participou numa formação de dança contemporânea no grupo “Raíz de polon”, em Santiago, na cidade de Praia. 

Podes saber mais sobre a Ana Trincão aqui, e sobre a Adryelle Fortes aqui

Texto de Carolina Franco
Fotografia de Etienne Boulanger disponível via Unsplash

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.