Vai nascer um novo festival de jazz no país de 6 a 15 de agosto. Chama-se Alcácer do Jazz e, para além da participação de músicos como Mário Laginha e Marta Hugon, reúne projetos e músicos de jazz de destaque em Alcácer do Sal e na Comporta

Alcácer do Jazz é um novo Festival que nasce em Alcácer do Sal produzido pela Associação Sons da Lusofonia (ASL), com direção artística de Carlos Martins e promovido pela Câmara Municipal de Alcácer do Sal (CMAS) ao abrigo do programa Portugal 2020. Com o objetivo de mostrar ao público as várias culturas que se cruzaram e cruzam em Alcácer, o festival pretende reconhecer a riqueza da sua diversidade, apostando na celebração do património comum, mostrando o que hoje se faz. Pela primeira vez, de 6 a 15 de agosto em Alcácer do Sal e na Comporta, o Alcácer Jazz traz nomes como Mário Laginha, Carlos Martins, Marta Hugon, Beatriz Nunes, Maria João, Salvador Sobral e o trio Barradas-Toscano-Pereira.

Para além dos concertos, o evento promove fóruns informais de debate que se debruçam sobre os temas "Música e Cultura Mediterrânea", "Matemática e Jazz" e o "Jazz nas Filarmónicas" trazendo os jovens da música de Banda para o mundo da improvisação. Segundo Carlos Martins, diretor artístico do evento, "apostar num Festival de Jazz em Alcácer do Sal é um ato de amor e de resistência feita pela afirmação da Cultura através da apresentação da melhor música improvisada feita em Portugal. A CMAS apostou no jazz como música de liberdade e de elaborada e trabalhosa conexão com o momento e com as pessoas. Este é um caminho para a cultura em Portugal. Numa altura em que os artistas em geral e a comunidade do jazz em particular sofre tantas limitações e tantos problemas artísticos e sociais, a CMAS com a ASL souberam pensar num festival que traz grandes vozes do jazz nacional e traz pensadores que têm uma relação concreta com a comunidade local pensando em termos globais".

No primeiro dia, 6 de agosto, Mário Laginha inaugura o Palco Rio Sado pelas 21h. Segue-se Carlos Martins Quinteto, Sempre, no dia 7 pelas 21h. O dia 8 de agosto é na Comporta, no Palco Aldeia da Comporta com Marta Hugon, pelas 21h. O festival volta a Alcácer do Sal para ser debatido à varanda da Biblioteca Municipal, pelas 19h, com o "Encontro de Música e Cultura Mediterrânea" e no dia seguinte, à mesma hora, o "Encontro Matemática e Jazz". O Palco Rio Sado, na Praça Pedro Nunes, recebe, sempre pelas 21h, Beatriz Nunes Quinteto, no dia 12, Maria João, Ogre Electric, no dia 13, Salvador Sobra, BPM no dia 14, Barradas-Toscano-Pereira Trio, no dia 15, pelas 20h, encerrando o festival com Jazz nas Filarmónicas com elementos da "Calceteira" e da "Pazoa" e José Soares Trio, pelas 21h30.

Os eventos são de entrada gratuita mediante lotação dos locais, e sem necessidade de reserva prévia.

Texto por Patrícia Nogueira
Fotografia via Pexels

Se queres ler mais notícias sobre cultura, clica aqui.