A 3ª edição do Festival criaSons vai trazer a música erudita contemporânea de volta para o Teatro Nacional São Carlos. Amanhã, dia 6 de maio, o pontapé de saída é dado pelo compositor Carlos Azevedo, “que apresenta um programa com duas partes contrastantes, todo ele constituído por obras de compositores portugueses - Eugénio Rodrigues, Telmo Marques, Jeffery Davis, Luís Tinoco, e do próprio compositor convidado”, segundo comunicado enviado ao Gerador.

Carlos Azevedo, que se movimenta nos diferentes universos da música clássica e do jazz, escolheu, para este concerto inédito, “apresentar na primeira parte do programa o KinetixDUO, (Fernando Ramos, saxofone e Jeffery Davis, vibrafone) um projeto singular com sonoridades pouco usuais”, de acordo com a mesma nota. Já na segunda parte “é apresentado um conjunto de obras pelo Quarteto Lopes-Graça, intercaladas com pequenas improvisações por Carlos Azevedo e João Mortágua”.

Carlos Azevedo criou a primeira Licenciatura em Jazz do país, na Escola Superior de Música e das Artes do Espectáculo (ESMAE), após associar-se à fundação da Escola de Jazz do Porto nos anos 80. Além do papel educativo que desempenha no jazz portuense também intervém na vertente performativa, partilhando com Pedro Guedes, desde 1999, a Direcção Musical da Orquestra Jazz de Matosinhos.

Brian MacKay, direto artístico do festival, diz sentir "que esta ideia já atingiu a sua maturidade, consolidou-se e assumiu identidade própria". O responsável afirma que este é um festival "que gera a sua própria energia, alimentada pelo poder de ouvir novas músicas, ao vivo, tendo como pano de fundo as influências humanas e artísticas que as inspiraram".

Antes de partir em digressão por Portugal e Espanha, o Festival criaSons tem ainda previstos dois concertos no S. Carlos. A 27 de Maio, Tiago Derriça apresenta o seu programa "Aos Ombros de Gigantes", “uma celebração do repertório camerístico para cordas e piano, uma viagem pela diversidade estilística das peças apresentadas”. A 15 de Junho, está previsto o quinto concerto "Tempo e Modos da Cítara Portuguesa" com assinatura de Pedro Caldeira Cabral, que aposta na divulgação das várias vertentes que constituem o repertório da cítara portuguesa.

De acordo com a organização “todos os concertos do Festival CriaSons são de entrada livre e irão ser transmitidos via live streaming nas plataformas de Facebook e Youtube da Musicamera Produções”.

Há, no entanto, a necessidade de reserva prévia de bilhetes, que deve ser feita através do e-mail geral@musicamera.pt, num máximo de 2 bilhetes por pessoa, sendo a lotação da sala de 50 lugares.
Os bilhetes devem ser levantados no dia de cada concerto na bilheteria do Teatro Nacional de São Carlos, até meia hora antes do início do evento. O Festival CriaSons e o Teatro Nacional de São Carlos “garantem o cumprimento de todas as recomendações de segurança da Direcção-Geral da Saúde e de várias entidades competentes”.

Local: Teatro Nacional São Carlos

Horário: dia 6 de maio, às 18h30

Preço: Gratuito (sujeito a reserva prévia de bilhete)


Fotografia cedida pelo Festival criaSons