fbpx

Apoia o Gerador na construção de uma sociedade mais criativa, crítica e participativa. Descobre aqui como.

Joacine Katar Moreira: “Eu não imaginei nunca o isolamento a que a esquerda me votou”

Foi a primeira voz a levar à Assembleia da República a discussão sobre a restituição às ex-colónias. Na Entrevista Central, Joacine Katar Moreira, historiadora e ex-deputada, analisa o atual debate em torno das reparações históricas e do que deve ser considerado discurso de ódio. E apresenta também o Anastácia, o centro de estudos decoloniais que agora preside.

Texto de Flavia Brito

Apoia o Gerador na construção de uma sociedade mais criativa, crítica e participativa. Descobre aqui como.

“Foi absolutamente incompreensível e uma grande desilusão, quando a esquerda veio falar comigo a anunciar que tinham desistido do voto de condenação às palavras que aquele deputado de extrema-direita proferiu." Quem o diz é Joacine Katar Moreira, historiadora e ex-deputada da Assembleia da República, sobre aquela que foi uma das grandes desilusões que teve enquanto membro do parlamento.

Em 2020, André Ventura, na altura, deputado único do Chega, propôs que fosse “devolvida ao seu país de origem”, após Joacine Katar Moreira ter apresentado, no Parlamento, as propostas de descolonização da cultura e de restituição de obras coloniais. O voto de condenação, anunciado por vários partidos, àquelas palavras, acabou por cair, com a justificação de não quererem “amplificar” aquele discurso. "As coisas têm um início", sublinha, comentando o crescimento da extrema direita em Portugal.

Cerca de quatro anos depois, não só a discussão em torno do que é liberdade de expressão e do que a distingue de discurso de ódio, como o assunto das reparações históricas voltou à agenda mediática, após as declarações do Presidente da República, em vésperas dos 50 anos do 25 de Abril.

Nesta Entrevista Central, ouvimos a opinião de Joacine Katar Moreira sobre estas matérias, e falamos também do Anastácia – Centro de Estudos e Intervenção Decolonial, que a historiadora agora preside, e que pretende ser "um espaço de oxigénio para investigadores, pesquisadores, ativistas e artistas" que queiram expor e discutir o trabalho que desenvolvem "sem as amarras e as condicionantes que a academia", segundo diz, "exige constantemente."

Episódio também disponível aqui.

Historiadora e política, Joacine Katar Moreira é PhD em Estudos Africanos. Foi deputada na Assembleia da República, entre 2019 e 2022 – primeiro enquanto deputada eleita pelo Livre e, após desfiliar-se do partido, como deputada não inscrita. É agora presidenta do Anastácia – Centro de Estudos e Intervenção Decolonial, uma entidade que pretende desenvolver e fomentar pensamento, pesquisas e práticas orientadas por pressupostos decoloniais e contra-coloniais.

Se este artigo te interessou vale a pena espreitares estes também

15 Julho 2024

Francisco Teixeira da Mota: “A polarização não se combate com o aumento da repressão”

27 Junho 2024

António Grosso: “A Igreja não vai ativamente ao encontro das vítimas [de abuso sexual]”

30 Maio 2024

Irene Pimentel: “A história de uma ditadura é sobre como consegue tornar passiva a população”

23 Maio 2024

Tiago Fortuna (Access Lab): “Há muito entusiasmo, mas depois não se concretiza”

25 Abril 2024

Flávio Almada: “Se depender da classe que está lá em cima, nós vamos morrer de fome”

4 Abril 2024

Fernando Dacosta: “Esta quantidade de ataques que se faz aos jornalistas não é por acaso”

21 Março 2024

Diana Andringa: “Os jornalistas neste momento estão nas mãos do poder judicial e da polícia”

13 Março 2024

Leonor Chicó: “Um protesto é eficaz se não incomoda?”

Academia: cursos originais com especialistas de referência

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Narrativas animadas – iniciação à animação de personagens [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Viver, trabalhar e investir no interior [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Escrita para intérpretes e criadores [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Financiamento de Estruturas e Projetos Culturais [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Planeamento na Produção de Eventos Culturais [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Soluções Criativas para Gestão de Organizações e Projetos [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Jornalismo e Crítica Musical [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Criação e manutenção de Associações Culturais (online)

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Iniciação ao vídeo – filma, corta e edita [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Introdução à Produção Musical para Audiovisuais [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Fundos Europeus para as Artes e Cultura II – Redação de candidaturas [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Comunicação Cultural [online e presencial]

Duração: 15h

Formato: Online

Investigações: conhece as nossas principais reportagens, feitas de jornalismo lento

22 Julho 2024

A nuvem cinzenta dos crimes de ódio

Apesar do aumento das denúncias de crimes motivados por ódio, o número de acusações mantém-se baixo. A maioria dos casos são arquivados, mas a avaliação do contexto torna-se difícil face à dispersão de informação. A realidade dos crimes está envolta numa nuvem cinzenta. Nesta série escrutinamos o que está em causa no enquadramento jurídico dos crimes de ódio e quais os contextos que ajudam a explicar o aumento das queixas.

5 JUNHO 2024

Parlamento Europeu: extrema-direita cresce e os moderados estão a deixar-se contagiar

A extrema-direita está a crescer na Europa, e a sua influência já se faz sentir nas instituições democráticas. As previsões são unânimes: a representação destes partidos no Parlamento Europeu deve aumentar após as eleições de junho. Apesar de este não ser o órgão com maior peso na execução das políticas comunitárias, a alteração de forças poderá ter implicações na agenda, nomeadamente pela influência que a extrema-direita já exerce sobre a direita moderada.

A tua lista de compras0
O teu carrinho está vazio.
0