A exposição que comemora 50 anos de carreira do consagrado fotojornalista vai estar patente, a partir de amanhã, na galeria do Teatro Municipal da Guarda.

Esta mostra, que pode ser visitada até dia 23 de abril, “celebra a condição feminina através de imagens captadas em vários contextos, revelando a beleza, a sensibilidade e a importância das mulheres em múltiplos contextos sociais à escala planetária”, segundo informação divulgada pelo município da Guarda.

As fotografias expostas pertencem a um conjunto de 400 imagens recolhidas em mais de 20 países ao longo de 50 anos, “seguindo a sequência lógica do ciclo de vida da mulher, da infância à velhice”.

Alfredo Cunha iniciou a sua carreira em 1970, na área da fotografia comercial, mas desde cedo revelou interesse pelo fotojornalismo. Aos longo dos anos passou por diversos jornais e agências noticiosas de grande relevo. Foi editor fotográfico nos diários Público e Jornal de Notícias, no grupo Edipresse, e diretor fotográfico da Agência Global Imagens.

Foi o fotógrafo oficial dos Presidentes da República Ramalho Eanes e Mário Soares, tendo sido agraciado com a comenda da Ordem do Infante D. Henrique.

É autor de algumas mais célebres fotografias da revolução do 25 de Abril de 1974. Já publicou mais de três centenas de livros de fotografia que abordam diferentes temas da atualidade, tendo sido alvo de diversas distinções a nível nacional e internacional.

Esta exposição é uma co-organização do Centro de Estudos Ibéricos e Teatro Municipal da Guarda.

Local: Teatro Municipal da Guarda;
Horário: 9 de abril às 18h (inauguração);
Preço: Não disponível.

Fotografia de Alfredo Cunha via Município da Guarda