O desenvolvimento sustentável das cidades não passa exclusivamente pela economia. É importante, sim, mas a cultura e a criatividade podem ser duas das soluções para amplificar a importância das cidades, através da Rede das Cidades Criativas da UNESCO (UCCN). No total, são 246 as cidades que integram esta rede e que partilham as suas estratégias, recursos, experiências e conhecimentos para atingirem os objetivos propostos nas comunidades locais, numa cooperação internacional ao mais alto nível de parceria.

Em Portugal, são sete as cidades criativas com o selo UNESCO e mais duas vão entrar na “família” em outubro. A vila de Óbidos é um dos exemplos portugueses mais conhecidos: através da literatura, tornou-se sustentável e um estudo de caso. Tudo por causa de um salto de fé e de uma igreja. Porém, ninguém previu a chegada de uma pandemia e as cidades perceberam que tinham um outro desafio: reinventar-se através da criatividade e da cultura.

Lê a reportagem completa, inicialmente publicada na Revista Gerador de maio, aqui. E ouve o podcast de oito episódios que fizemos, dedicado às sete cidade portuguesas que integram a rede das cidades criativas da UNESCO, aqui.

Esta reportagem foi o resultado da primeira Bolsa Reportagens Essenciais Gerador, que pretende apoiar o jornalismo e os jornalistas, com enfoque nos mais jovens, que têm dificuldade a aceder aos recursos e ferramentas necessárias para desenvolver reportagens de investigação. Podes saber mais sobre estas bolsas, aqui.

Texto de Ana Sofia Paiva
Ilustração de Marina Mota
gerador-cidades-criativas-da-unesco