Manifesto Transpofágico é “a transpofagia, da transpologia de uma transpóloga”. A transpóloga é Renata Carvalho, que “se veste” com o seu próprio corpo para falar, na primeira pessoa, sobre a “historicidade da sua corporeidade”. O espetáculo da transpóloga brasileira será disponibilizado no dia 14 de maio às 21h00, e ficará online durante 48 horas.

“O meu corpo veio antes de mim, sem eu pedi. Ele é mais velho do que eu”, diz Renata na sinopse da sua peça, convocando a sua “transcentralidade”. A atriz, realizadora, dramaturga e transpóloga (antropóloga e transgénero) convida-nos “a olhar, a observar, a ver o seu corpo travesti”. 

Renata Carvalho nasceu em 1981, em Santos (São Paulo). Fundou o MONART - Movimento Nacional de Artistas Trans, onde cria o Manifesto Representatividade Trans. Fundou também em São Paulo o Coletivo T, o primeiro coletivo artístico formado integralmente por artistas transgénero na cidade. 

O espetáculo é organizado no contexto do festival FITEI. Podes saber mais, aqui

Pormenor de fotografia disponível via Rivoli