É a partir de hoje, dia 20 de abril, que o Teatro Griot pisa o palco do grande auditório da Culturgest com o "Riso dos Necrófagos". O espetáculo prolonga-se até dia 23 e acontece pelas 19 horas. Através dos relatos das memórias por quem passou e viveu a Guerra da Trindade, na ilha de São Tomé, a encenadora Zia Soares e o músico Xullaji, saudaram os vestígios que se perderam no tempo.  

"Nesta guerra os mortos foram amontoados em valas comuns ou no fundo do mar, num exercício de violência, perpetrado pelo invasor que acredita que, ao despojar os mortos dos seus nomes, os condena ao esquecimento. Mas para os santomenses, são presenças na ilha como símbolo encarnado e, para celebrá-los, anualmente no dia 3 de fevereiro, cumprem um itinerário ritualístico, desfilando ao longo de várias horas numa marcha amplificadora de falas, cantos, risos e sons que saem de corpos convulsos", lê-se na sinopse do espetáculo.

É tendo por base estas referências que o Riso dos Necrófagos se assume como um "prolongamento celebratório", "entrópico", onde os intérpretes manipulam tempos e imagens, riem, deliram e reconfiguram os vestígios e os fragmentos do morticínio, a partir da ideia de celebração, como a festa, a liturgia e os aspetos ritualísticos do quotidiano.

A companhia de atores GRIOT distingue-se por desenvolver o seu trabalho a partir da tensão entre corpo e território, imaginários coletivos e individuais, operando num espaço de intersecção de territórios geográficos e simbólicos como ponto deligado de um movimento artístico de contra-memória.

Local: Culturgest;

Horário: 19 horas;

Bilhete: Compra o teu aqui.

Fotografia de Sofia Berberan